25/04/2024 - Edição 540

Campo Grande

Micro e Pequenas Empresas geram maioria dos empregos em Campo Grande

Dos 1,48 milhão de postos de trabalho surgidos no ano passado no país, 1,18 milhão foram gerados por pequenos negócios: 80,1% do total

Publicado em 06/03/2024 9:40 - Semana On

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

As Micro e Pequenas Empresas (MPEs) desempenharam um papel fundamental na criação de empregos no último ano em Campo Grande e em todo o país. No Brasil, oito em cada dez novas vagas vieram das MPEs, conforme análise conduzida pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Das 1,48 milhão novas oportunidades de trabalho surgidas no ano passado, 1,18 milhão foram geradas por pequenos negócios, correspondendo a impressionantes 80,1% do total. Esse número contrasta com as 209,99 mil vagas, ou 14,2%, provenientes de Médias e Grandes Empresas (MGE).

A empresa Seven Tecnologia, que atua na área de monitoramento 24 horas está dentro desta estatística. O proprietário Helder Barbosa Diniz emprega três pessoas e fala da importância do pequeno para fazer a economia girar.

“O microempreendedor corresponde a uma boa parte da fatia do PIB, não é só de médias e grandes empresas que se constrói a economia. Se não fossem os microempreendedores, essa roda não giraria, não haveria fábricas, não haveria grandes empresas, se não fosse o final. É o microempreendedor quem faz os produtos chegarem ao consumidor, é ele quem mais emprega, quem faz a roda girar”, pontua.

Como exemplo, ele cita as pequenas e médias empresas nos bairros. Em Campo Grande, todas as sete regiões têm corredores comerciais e gastronômicos que movimentam a economia local.

“Nos bairros a gente vê isso muito claramente, como os microempreendedores desenvolveram. Tanto é que, muitas vezes, o morador dali não precisa mais se deslocar para trabalhar. Ele trabalha no próprio bairro, porque ali tem um microempreendedor que está gerando emprego na região”, conta.

É o caso de Lenita Fernandes, moradora do Aero Rancho. Ela conta que trabalha em um salão de beleza no bairro, onde atua como manicure e depiladora. A vantagem que ela vê, é não precisar se deslocar, o que economiza tempo e dinheiro. “Não preciso acordar cedo demais e posso ir almoçar em casa. É muito melhor, porque tenho emprego com mais qualidade de vida”.

O setor de serviços, inclusive, é o que mais segue em evidência. Pelo terceiro ano consecutivo, as MPEs lideraram a criação de empregos. Em 2023, este segmento foi responsável pela abertura de 631 mil novas vagas, enquanto as MGE contribuíram com 181,87 mil empregos.

Ainda segundo a pesquisa, as perspectivas futuras são positivas. O Sebrae ressaltou a importância das MPE na recuperação econômica e expressou otimismo quanto à continuidade desse cenário favorável para as pequenas empresas.

Esses dados demonstram o importante papel das micro e pequenas empresas na dinamização do mercado de trabalho brasileiro, refletindo sua resiliência e capacidade de adaptação em meio aos desafios econômicos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *