29/05/2024 - Edição 540

Campo Grande

Há dez dias do fim da campanha, menos de 20% das crianças tomaram a vacina contra poliomielite em CG

A vacina contra poliomielite protege crianças da doença que ficou popularmente conhecida como Paralisia Infantil, e há mais de trinta anos não há novos casos registrados no Brasil. Mas eles podem voltar.

Publicado em 21/09/2022 10:01 - Semana On

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Iniciada em agosto e prorrogada até o final de setembro, a campanha de vacinação contra a poliomielite termina em dez dias e, até o momento, apenas 18% da população entre 1 e 4 anos de idade em Campo Grande recebeu o imunizante. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é que 95% das mais de 57,4 mil crianças nesta faixa etária fossem imunizadas.

A vacina contra poliomielite protege crianças da doença que ficou popularmente conhecida como Paralisia Infantil, e há mais de trinta anos não há novos casos registrados no Brasil. Contudo, a decisão de uma nova campanha partiu do princípio de que o vírus ainda estar circulante em alguns países e haver casos novos em locais onde não se tinha mais registro da doença, como é o caso dos Estados Unidos, que confirmou o diagnóstico em um adulto não vacinado em julho. 

“O perigo é que tenhamos o mesmo cenário que se apresentou em relação ao sarampo. Em 2019, Campo Grande registrou novamente um caso da doença, em uma criança que ainda não tinha recebido a vacina e havia viajado para São Paulo”, explica o secretário municipal de saúde, José Mauro Filho. 

Segundo o gestor da pasta de saúde, cada novo caso fora do país representa um risco maior para os moradores de Campo Grande. Além desta campanha, acontece também a de multivacinação para atualização de caderneta, que tem como público crianças e adolescentes de até 14 anos. 

Cerca de 68 mil crianças e adolescentes foram até as unidades de saúde com seus pais ou responsáveis legais para verificar a necessidade da atualização da caderneta, e deste total, pouco mais de 19,7 mil recebeu pelo menos uma dose que estava em atraso. 


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *