01/03/2024 - Edição 525

Campo Grande

Grupo teria causado prejuízo de R$ 300 milhões fraudando contratos de manutenção de ruas sem asfalto em CG

Ex-secretário municipal é um dos alvos da operação do MP

Publicado em 16/06/2023 10:01 - G1MS

Divulgação Reprodução

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP-MS) com apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar, cumpriu ontem (15), 19 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, na operação “Cascalhos de Areia”.

A operação é contra uma suposta organização criminosa que envolveria desde servidores públicos a empresários, suspeitos de fraudar contratos para a manutenção de vias não pavimentadas e locação de máquinas e veículos junto a prefeitura de Campo Grande, de 2017 a esse ano.

Segundo o MP-MS, o município teria sofrido um prejuízo que ultrapassa os R$ 300 milhões. Entre os crimes apurados estão o peculato, corrupção, fraude a licitação e lavagem de dinheiro. Mandados foram cumpridos na secretaria municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep).

Em nota, a Sisep diz que recebeu nesta manhã as equipes do MP-MS e que permanece à disposição para qualquer esclarecimento ou fornecimento de informações necessárias ao processo.

A operação mobilizou uma verdadeira força-tarefa do Ministério Público, envolvendo a 31ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social de Campo Grande, onde tramita o Procedimento Investigatório Criminal (PIC) que apura o caso, além do (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e do Grupo Especial de Combate à Corrupção (Gecoc).

Confira a íntegra da nota da Sisep

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos recebeu nesta manhã as equipes da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social de Campo Grande, que informaram cumprimento de decisão judicial oriunda de Procedimento Investigatório que tramita na mesma. O Município permanece à disposição para qualquer esclarecimento ou fornecimento de informações necessárias aos entes do processo.

Ex-secretário municipal é um dos alvos da operação

Ex-secretário da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, está entre os alvos do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na Operação Cascalhos de Areia.

Procurado pela reportagem, ele disse que não vai se pronunciar sobre o assunto no momento. A investigação aponta possível organização criminosa e lavagem de dinheiro, responsável por movimentar mais de R$ 300 milhões, em licitações, na Sisep.

Rudi se desligou da pasta em janeiro deste ano, posto que ocupava desde 2017. Em abril foi nomeado em cargo comissionado na Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso do Sul (Seilog).

Integrantes do Gaeco, com apoio do batalhão de Choque da Polícia Militar, estiveram nas empresas: AL dos Santos e Cia, ALS Transportes, Engenex Construções e Serviços, MS Brasil Comércio e Serviços, além da própria Sisep.

Também foram aos endereços do empresário André Luiz do Santos, conhecido como André Patrola, dono da ALS dos Santos e ALS Transportes. Ele não quis comentar o caso.

Edcarlos Jesus da Silva sócio nas empresas MS Brasil Comércio Eireli e Engenex Construções, Paulo Henrique Maciel, também sócio na Engenex, Patrícia da Silva Leite e Ariel Dittmar Raghiant, funcionária e engenheiro da empresa, respectivamente.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *