18/05/2024 - Edição 540

Campo Grande

9º Festival do Sobá homenageará Centenário da Ferrovia e Imigração Japonesa

Publicado em 24/07/2014 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Festival do Sobá da Feira Central de Campo Grande, completa este ano sua nona edição, que em um ano especial, comemorará duas datas históricas, que são cerne do evento e do centro gastronomico-comercial: o centenário da instalação da Ferrovia na Capital (1914-2014), onde a tradicional feirona se instalou,  e, os 100 anos da Imigração Japonesa em Campo Grande. O evento será realizado entre os dias 7 e 17 de agosto e como nos anos anteriores terá apoio da Prefeitura, contando com uma diversificada programação que prevê música, dança, exposições, cozinha show e apresentações com artistas regionais.

O evento já se movimenta em sua previa preparação e com a participação de artistas ou da população em geral, que está convidada a compor uma música sobre o Festival. A ação visa incentivar compositores e músicos locais, conforme a Associação da Feira Central e Turística de Campo Grande (Afecetur), que promoverá o concurso para escolher a "música oficial do Festival do Sobá". As inscrições começaram no dia 11 de julho e prosseguem até 1º de agosto. Os três primeiros colocados serão premiados em dinheiro, sendo o 1º lugar com o valor de R$ 2 mil, 2º colocado R$ 1,5 mil e o terceiro R$ 1 mil.

Os interessados poderão participar com uma música inédita e a exigência é que a letra da composição contenha os temas: sobá, centenário da ferrovia e centenário da imigração japonesa. As normas sobre o concurso estão dispostas no Diário Oficial de Campo Grande nº 4060. No dia 10 de agosto, uma comissão julgadora escolherá as três melhores composições, em solenidade marcada para as 19h30, na Feira Central, por ocasião do festival.

Registro

O sobá é um prato típico da gastronomia campo-grandense, que tornou-se patrimonio cultural imaterial do município, adaptado da culinária oriental pelos imigrantes vindos, em 1908, da província de Okinawa, arquipélago de influência chinesa, na região sul do Japão. Nessa cidade, tradicionalmente, à véspera do ano novo, as famílias se reuniam para degustar esse tradicional prato feito de macarrão de trigo sarraceno, o toshikoshi-soba.

Campo Grande, é a terceira cidade do Brasil com maior número de descendentes japoneses. Estes se fixaram na região rural do município, à época, sul de Mato Grosso, onde passaram a praticar a agricultura e a negociar seus produtos nas feiras.

O sobá, que é uma adaptação dos produtos locais à culinária oriental (resultado do diálogo da cultura milenar com as matérias primas do meio ambiente regional), era consumido, a princípio, apenas pelos imigrantes e fora dos olhares da clientela Gaijin, isto é, dos não-orientais. Todavia o costume se difunde, e a população apropria-se da iguaria, consumindo-a cotidianamente.

Assim, o sobá, tornou-se um prato típico da Capital Sul-matogrossense, amplamente divulgado nos restaurantes e nas dezenas de sobarias. Sendo a principal atração da Feira Central da cidade que anualmente promove o Festival do Sobá em parceria com a Prefeitura Municipal.

Campo Grande é a segunda cidade no país a ter uma legislação específica para o registro dos bens culturais de natureza imaterial por meio do decreto municipal n° 9.685, de 18 de julho de 2006. O sobá foi registrado como o primeiro bem imaterial de seu Patrimônio Histórico e Cultural, o que atesta a importância da imigração japonesa na cena cultural regional.

Curiosidade

O sobá campo-grandense tem seu diferencial que não é encontrado no original e nem nos demais núcleos de imigrantes do país, sendo uma especificidade da cultura local.

Numa panela, cozinha-se o osso de porco com água. Coa-se o caldo que é temperado com shoyu, saquê, gengibre e sal. Serve-se numa tigela chinesa ou cumbuca, enriquecido com macarrão, carne (porco, gado ou frango), cebolinha e omelete picados.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *