22/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

“Vamos investir forte na malha viária”, assegura Riedel

Ação do Governo de MS destrava contratos de concessões e assegura celeridade a obras em rodovias

Publicado em 28/03/2023 8:40 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Máquinas e equipes de trabalhadores iniciaram na segunda-feira (27) intervenções e melhorias ao longo da MS-112 e trechos da BR-158 e BR-436, rodovias concessionadas pelo Governo de Mato Grosso do Sul para o Consórcio Way Brasil.

Estratégia que garante a desburocratização de processos de concessão, a assinatura do termo de arrolamento de bens é a razão para a agilidade do processo.

Assinado na última quinta-feira (23), juntamente com o contrato de concessão entre o Estado e o consórcio, o termo foi proposto pelo EPE (Escritório de Parcerias Estratégicas) e abrevia os prazos para início de obras em contratos de concessão e de parcerias.

Usualmente este tipo de termo é celebrado entre as partes após período de vistorias e da assinatura de concessões, o que atrasa de fato o início “prático” da concessão.

Todo o processo – desde a fase de estudos – foi coordenado pelo Escritório de Parcerias Estratégicas do Governo do Estado, que modelou totalmente o projeto até sua fase de formalização – incluindo o contrato de concessão e o termo de arrolamento.

A vistoria técnica, base para efetivação do Termo de Arrolamento e Transferência à gestão privada, foi feita pelo Escritório de Parcerias Estratégicas e pelas agências de Regulação de Serviços Públicos (Agems) e Agência de Gestão de Empreendimentos (Agesul) e pela concessionária das rodovias do Leste de MS.

Rodovias

A concessão beneficia diretamente 230 mil habitantes dos municípios abrangidos pelas rodovias (Cassilândia, Paranaíba, Aparecida do Taboado, Inocência, Selvíria e Três Lagoas), além de trabalhadores do setor de transportes e turistas, reduzindo o tempo gasto nos deslocamentos e no custo do escoamento da produção agrícola e industrial da região Leste de Mato Grosso do Sul.

A concessionária deverá recuperar, manter a conservação e ampliar a capacidade rodoviária de 412,5 quilômetros de estradas em Mato Grosso do Sul, incluído os 3,8 km da ponte Rodoferroviária, oferecendo agilidade, segurança aos usuários e novas possibilidades logísticas para a Região do Bolsão.

Ao todo serão R$ 3,5 bilhões em investimentos em infraestrutura, ao longo de 30 anos de contrato.

“Vamos investir forte nas estradas vicinais e no escoamento da produção”, afirmou o governador Eduardo Riedel. Para ele, apoiar os municípios na manutenção das estradas é fundamental para a economia do estado.

“Nos próximos anos, toda a estrutura de Governo estará disponível para apoiar a manutenção dessa malha viária que tem impacto direto na safra, na competitividade. Vamos dar toda a atenção para garantir condições para o escoamento da nossa produção e para a manutenção das nossas estradas”, assegurou Riedel.

Com quatro frentes de trabalho, pavimentação da “Estrada 21” agrada moradores

Com quatro frentes de trabalho, a obra de pavimentação da MS-345, conhecida como “Estrada 21”, está em pleno vapor. Ela liga a cidade de Anastácio a Bonito, passando pelo distrito de Águas de Miranda. O empreendimento vai beneficiar moradores de toda região, além potenciar o turismo e a prática de pesca esportiva. Também vai encurtar em até 40 km o caminho de Campo Grande a Bonito.

Além de impulsionar o desenvolvimento da região e trazer benefícios econômicos, o asfalto que chega na “Estrada 21” agrada e leva esperança às pessoas que moram ao longo da rodovia, nestes 100 km que serão pavimentados. Fim da poeira e do barro nos dias de chuva e mais segurança.

“Moro nesta região (Bonito) desde quando nasci, a obra vai ser boa para todo mundo, este trecho era muito difícil de andar por causa da poeira, que chega até nossa casa também. Trabalho lá na cidade e fazia este percurso de moto. Vai valorizar muito também os terrenos da região”, afirmou Edimildo Gaúna Machado, que mora em frente a rodovia, no trecho próximo a Bonito.

Silvana Cristaldo também mora na região com o marido e o neto de 10 anos. Ela diz que toda vizinhança está feliz com a obra. “Já sofri aqui com muita poeira e buraqueira na estrada, o asfalto vai melhorar para todo mundo”. Ela ainda citou que o neto segue de ônibus para cidade e não vai ter que enfrentar poeira ao longo do caminho.

Com uma chácara em frente a rodovia, Lurdes Gelinsk contou que já estava planejando até a venda do imóvel, no entanto resolveu ficar em função da obra. “Estou aqui há três anos com meu marido, mas no inverno a poeira era muito grande, já não aguentávamos mais. Com a rodovia asfaltada vai ser maravilhoso e vai valorizar a propriedade”.

Obra emblemática

Com R$ 212 milhões de investimento, a obra do Governo do Estado prevê 14 pontes ao longo do percurso, abrindo mais uma opção para ida de turistas brasileiros e estrangeiros chegarem até Bonito, vindo de Campo Grande. Ela começa do trevo da BR-419, a 21 km de Anastácio, até chegar na capital do ecoturismo.

“A obra de pavimentação da MS-345 é considerada uma obra emblemática, potencializando o ecoturismo e a pesca esportiva e abrindo mais uma opção de acesso ao destino a partir de Campo Grande. Esse é o desenvolvimento que acontece a partir do municipalismo, as cidades sentindo as entregas oferecidas pelo Estado, com recursos para todos os setores”, afirmou o governador Eduardo Riedel.

A obra foi dividida em quatro lotes. O primeiro que sai do trevo da BR-419 tem extensão de 28,65 km e 46% das atividades já foram concluídas. O segundo continua este percurso por mais 23 km. Lá cerca de 55% das atividades previstas foram finalizadas.

Os dois últimos lotes (3 e 4) seguem da metade do percurso até chegar em Bonito. O terceiro com 22,74 km já tem quase 40% dos trabalhos concluídos e o quarto (lote) chega a 56% das atividades prontas dos 25,16 km previstos. “Estamos fazendo os trabalhos a partir de Bonito em direção aos lotes 1 e 2, para que cada vez mais as pessoas possam já ir utilizando do asfalto que já está pronto”, disse Guilherme Ramalho, engenheiro de planejamento dos lotes 3 e 4.

Para o secretário de Infraestrutura, Hélio Peluffo, esta pavimentação é uma demanda antiga de toda região. “A obra vai encurtar a distância da Capital até Bonito, um dos destinos mais procurados por nossa população e também pelos turistas. Todos os quatro lotes estão em execução. As chuvas têm atrapalhado um pouco, mas as empresas estão seguindo os cronogramas. Por determinação da Seilog, o trabalho é reforçado sempre que há uma melhora no tempo”.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *