17/07/2024 - Edição 550

Mato Grosso do Sul

Saúde cria incentivo para atender municípios que oferecem hemodiálise em MS

Hospital Regional realiza procedimento inédito feito por endoscopia para retirada de tumor cancerígeno

Publicado em 13/03/2023 10:14 - Semana On

Divulgação MS Gov

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) instituiu, em caráter provisório, incentivo financeiro para procedimentos de hemodiálise ambulatorial para pacientes crônicos. A medida vale para as competências de fevereiro a julho de 2023. A ação visa apoiar as Secretarias Municipais de Saúde, gestoras dos contratos com os prestadores de hemodiálise, no custeio de sessões de hemodiálise de pacientes renais crônicos no SUS.

O incentivo será destinado aos municípios que possuem serviço próprio ou contratualizado junto ao SUS (Sistema Único de Saúde) para prestação de serviços de hemodiálise e que, voluntariamente, façam adesão. O incentivo instituído terá o valor de R$ 42,50 para a sessão de hemodiálise, com teto máximo de 14 sessões por paciente ao mês. O repasse estadual será feito mensalmente, mediante transferência fundo a fundo, após envio oficial da produção processada e aprovada pelo SIA (Sistema de Informação Ambulatorial).

Para receber o incentivo às Secretarias Municipais de Saúde precisam fazer adesão à Resolução, além de realizar controle e avaliação dos serviços prestados, verificando junto aos prestadores contratados ou contratualizados se os procedimentos de hemodiálises foram efetivamente realizados, bem como a qualidade dos serviços prestados. Também é necessário atestar a veracidade das informações fornecidas pelos prestadores da hemodiálise e apresentar relatório de produção referente aos procedimentos regulados.

As Secretarias Municipais de Saúde que possuem serviços de hemodiálise contratualizados com a rede privada deverão necessariamente efetuar o repasse aos respectivos prestadores dos valores referentes ao incentivo financeiro e já aquelas Secretarias Municipais de Saúde que realizam as hemodiálises em unidades próprias farão jus ao recebimento dos recursos para o custeio destes serviços de saúde. Os serviços de diálise devem estar devidamente habilitados junto ao Ministério da Saúde para esta modalidade de atendimento e com oferta de vagas regulada.

Hospital Regional realiza procedimento inédito feito por endoscopia para retirada de tumor cancerígeno

No mês alusivo ao Março Azul – de conscientização e prevenção ao câncer colorretal, conhecido como câncer no intestino, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) realizou procedimento avançado de remoção de uma lesão neoplásica (tumor) de reto em uma paciente de 73 anos. A técnica realizada é inédita em um hospital público do Estado.

A médica endoscopista dra. Géssica Oguchi, que possui treinamento em técnicas endoscópicas minimamente invasivas e que realizou o procedimento explica que paciente realizava tratamento no ambulatório de Gastroenterologia do HRMS.

“A paciente foi diagnosticada com lesão de aproximadamente 5 cm em reto distal e indicada para cirurgia de amputação de reto, porém, optamos pela ressecção endoscópica”, relata Oguchi.

Para a chefe e responsável técnica do setor de Endoscopia do HRMS, médica endoscopista Caroline Leonardi, o procedimento demora horas para ser realizado, mas diminui as comorbidades relacionadas a um procedimento cirúrgico de amputação de órgão.

“Essa lesão, pelo potencial maligno, tinha indicação de uma cirurgia para remoção do segmento afetado. Porém, foi optado pela realização do ESD (Endoscopic Submucosal Dissection) um termo em Inglês para a denominação de uma técnica japonesa de um procedimento endoscópico, minimamente invasivo, para tratamento de cânceres precoces do trato digestivo”, explicou.

A técnica adotada é considerada um avanço no tratamento do câncer colorretal em Mato Grosso do Sul. Até então, o procedimento que é comum em grandes centros do país como São Paulo e Minas Gerais só foi realizado algumas vezes em hospitais privados do Estado.

O procedimento contou com o empenho e cuidados da equipe de Anestesiologia Dr. Waldemir Gonçalo de Paula e Dra.  Anna Luísa Cinacchi e a equipe de enfermagem do setor: Augusto Gomes da Silva Neri e Jussara Vargas Araújo.

Sobre o Março Azul

O câncer colorretal ou câncer de intestino se apresenta de maneira silenciosa em indivíduos a partir de 50 anos e a dificuldade no diagnóstico precoce contribui para o aumento de casos e pode reduzir as chances de cura. Para alertar à população, o Governo do Estado, por meio da SES (Secretaria de Estado de Saúde) em parceria com a Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva), lançam a Campanha Março Azul que tem como objetivo – conscientizar e combater o câncer colorretal no Estado. O câncer de intestino é um tipo de câncer que pode ser evitado se diagnosticado precocemente.

O que é o câncer colorretal?

O câncer colorretal se inicia a partir de um crescimento benigno (pólipo) na parede do intestino. Se não for tratado ou removido, um pólipo pode se tornar um tumor maligno. Os pólipos são facilmente diagnosticados durante uma colonoscopia.

Ao receber o diagnóstico de câncer colorretal é muito importante saber que não está sozinho, receber a rede de apoio, além de toda a equipe médica, conversar com seus familiares, amigos, ou participar de grupos de apoio e também ONGs.

Fique atento quanto aos sinais!

  • Diarreia ou constipação de duração de mais que algumas semanas;
  • Sensação de inchaço abdominal
  • Cansaço e fadiga
  • Presença de sangue nas fezes
  • Dor abdominal – tipo cólica
  • Sensação de que o intestino não foi completamente esvaziado
  • Perda de peso sem motivo específico

Como prevenir?

Adoção de medidas mais saudáveis:

  • Evitar o tabagismo e o uso de bebidas alcoólicas;
  • Fazer atividade física com regularidade;
  • Ter uma alimentação rica em fibras;
  • Evitar alimentos ultraprocessados e açúcares;
  • Mesclar a ingestão de carnes vermelhas;
  • Estar em dia com consultas médicas;
  • Estar atentos a lesões que antecedem o câncer.

Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *