28/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

Riedel: “Lugar de mulher é onde ela quiser”

No Dia Internacional da Mulher, governador destaca importância feminina em MS

Publicado em 08/03/2023 10:07 - Semana On

Divulgação O governador, com a primeira-dama Mônica.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

“Lugar de mulher é onde ela quiser”, disse nesta quarta (8) o governador Eduardo Riedel (PSDB), em função do Dia Internacional da Mulher. “As mulheres sul-mato-grossenses querem um Estado mais próspero, desenvolvido e cheio de oportunidades, com poder de transformação. É ouvindo e conversando com elas que vamos avançar na construção de um novo futuro pra MS”, afirmou Riedel.

Segundo o governador, o envolvimento das mulheres na política e, também, nas políticas públicas de Governo são uma prioridade e estão sendo transformadas em ações concretas. “O Mato Grosso do Sul é um Estado predominantemente feminino, e o fortalecimento de políticas públicas para as mulheres é vital”.

Ele tem razão em relação ao caráter feminino do Estado. Estima-se que 50,4% (1.446.389) da população sul-mato-grossense seja de mulheres — a estimativa populacional deste ano do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para o Estado é de 2.868.279.

Conforme os dados do último Censo, as mulheres correspondiam a 50,1% da população total e grande parte delas estão na áreas urbanas (1.067.726) — enquanto 161.370 vivem em situação rural. Em relação à faixa etária, são as de 30 a 39 anos que dominam (193.512). A expectativa de vida delas atualmente está em prevista em 80,58, enquanto a taxa de mortalidade infantil (quantidade de mortes entre 0 e 1 ano por mil) é estimada em 10,65%.

“Além de serem maioria, as mulheres de Mato Grosso do Sul têm papel decisivo na economia dos lares, e precisam ser valorizadas, especialmente devido ao fato de que grande parte delas tem jornada dupla, no trabalho e em casa”, afirma Riedel.

Novamente, ele se baseia em dados para a afirmação. Mais de 252 mil mulheres do Estado – com 25 anos ou mais – são responsáveis por seus lares. Quando colocado na perspectiva educacional, 31.914 mulheres que têm o Ensino Superior completo eram as “chefes” em suas residências e 46.116 conviviam com esposo(a). Esse número é bem maior entre as mulheres sem instrução ou com Ensino Fundamental incompleto: 130.843 eram as únicas provedoras da residência e 163.255 moraram em conjunto.

Em se tratando de economia, 656.391 das mulheres sul-mato-grossenses com mais de 10 anos têm algum tipo de rendimento, mas somente 532.959 são economicamente ativas, ou seja, que têm capacidade produtiva. Cada vez mais preparadas para ganhar espaço na economia, entre 2008 e 2018 elas aumentaram sua presença na indústria em 28,34%. Nesse cenário, os municípios que mais contrataram mulheres nos últimos anos, em termos percentuais, foram Itaquiraí, São Gabriel do Oeste, Dourados e Campo Grande.

“Quanto mais qualificadas as mulheres forem, mais chances terão no mercado de trabalho. Por isso estaremos muito atentos ao fomento de ações neste sentido”, assegurou Eduardo Riedel.

A primeira dama Mônica Riedel destacou a importância de ouvir a voz feminina. “Dar voz às mulheres é ampliar os horizontes políticos através de uma visão diferente de várias áreas da sociedade. É dar voz a parte da sociedade que historicamente não se sente incluída no universo político muitas vezes por falta de informação. É equilibrar a representatividade da sociedade que hoje tem a mulher atuante em todos os seus setores. É reconhecer a luta das mulheres que nos antecederam e consolidar suas conquistas, como foi a legalização do voto feminino, hoje em dia tão comum mas que no passado foi fruto de uma grande luta”.

Entre as ações de empoderamento feminino defendidas pelo governador está a educação financeira, o empreendedorismo em tempos de crise e o marketing digital. “Vamos fortalecer programas como o ‘Qualifica Mulher’, que surgiu com o intuito de proporcionar às mulheres condições de trabalho digno e oportunidades de projeção econômica e social por meio de capacitação, empreendedorismo e articulação em rede. Nos próximos anos, vamos priorizar estas ações, que fortalecem e empoderam as mulheres sul-mato-grossenses”, afirmou.

Combate ao feminicídio e a violência contra mulher

“Investimento com coordenação e inteligência”. Assim o governador Eduardo Riedel planeja ampliar as ações em segurança pública, tendo entre os focos o combate ao feminicídio e a violência contra mulher. Para isto pretende levar ao menos uma “Sala Lilás” para cada cidade do Estado e ampliar medidas de proteção, como botão pânico, acolhimento e trabalho árduo para mudar esta realidade.

“Nós vamos acolher as vítimas e punir os culpados. Ter uma estrutura para ajudar esta mulher, com aumento das delegacias especializadas, assim como ter ao menos uma sala lilás, com atendimento humanizado, nas 79 cidades. Temos um índice alto de violência contra mulher e não jogamos isto para debaixo do tapete, não queremos esconder e sim trabalhar para mudar este cenário, colocar na mesa e dizer que temos um problema”, afirmou Riedel.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *