22/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Riedel autoriza R$ 161 milhões em investimento e assina licitação para restaurar a MS-436

Novo sistema de transporte vai implementar painéis informativos nas rodoviárias aptas de MS

Publicado em 14/11/2023 10:53 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Desenvolvimento e infraestrutura de qualidade. Com este foco o governador Eduardo Riedel assinou a autorização para licitar a obra de restauração da rodovia MS-436, que liga as cidades de Camapuã e Figueirão, na região Norte do Estado. São mais de R$ 161 milhões de investimento, em dois lotes que juntos somam 111 km de estrada.

“População do Norte do Estado, de Camapuã e Figueirão. Estou assinando agora a obra de restauração da rodovia MS-436. A obra vai para licitação, daqui a poucos meses a empresa que ganhar a concorrência vai iniciar a obra, provavelmente no início do ano que vem. São mais de 160 milhões de investimento, para restaurar completamente esta rodovia”, afirmou o governador.

Riedel destacou que a obra era extremamente necessária devido as condições da rodovia entre Camapuã e Figueirão. “Uma obra que está completamente deteriorada, com asfalto que se degradou e encheu de buracos. Extremamente importante para esta região Norte, aos produtores, ao ir e vir das pessoas, ao desenvolvimento do nosso Estado”, completou.

O próximo passo é a publicação da licitação no Diário Oficial do Estado, com a previsão dos prazos para que as empresas interessadas possam fazer suas propostas. Depois da escolha da (empresa) vencedora, já se inicia a ordem de serviço para início dos trabalhos no local.

Frentes de trabalho

A restauração da MS-436 será feita em dois lotes. O primeiro prevê os trabalhos em uma extensão de 61,60 km, saindo de Camapuã até a Pontinha do Cocho. Passando pelo entroncamento com a rodovia BR-060. Lá estão previstos o investimento de R$ 89,9 milhões dos cofres públicos. O prazo para os trabalhos será de 600 dias (20 meses).

Já o segundo lote segue da Pontinha do Cocho até Figueirão, na rodovia MS-436. São mais 49,9 km de extensão que serão restaurados pelo Governo do Estado. Este trecho representa um investimento de R$ 71 milhões. A empresa escolhida terá que concluir os trabalhos em 480 dias (16 meses).

Esta obra será mais um investimento do Estado com foco no desenvolvimento, fortalecimento da economia regional, melhorias no escoamento da produção e mais segurança ao tráfego local, para quem segue entre os dois municípios. O governador garante que o pacote de investimentos nas rodovias estaduais segue em pleno vapor.

Novo sistema de transporte vai implementar painéis informativos nas rodoviárias aptas de MS

No coração do sistema de transporte intermunicipal de passageiros, uma revolução está em andamento na forma como os serviços são gerenciados e aprimorados.

O Centro de Integração Técnica e Inteligência, também conhecido como CITI, criado pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos do Mato Grosso do Sul (Agems), está liderando o caminho em direção a um futuro mais eficiente e tecnologicamente avançado.

Este projeto inovador, que se concentra inicialmente no transporte de passageiros, tem como objetivo servir, futuramente, a todos os serviços regulados. Uma iniciativa que marca uma reviravolta significativa após mais de 50 anos de operações, iniciadas antes mesmo da criação do estado.

Modelo em todo o país, o CITI foi até apresentado a reguladores do Brasil e América Latina como exemplo de adequação às exigências de modernidade para fiscalização do transporte.

Avanços

Andamento do projeto e cronograma de entregas foram destaques em reunião da Diretoria Executiva da Agems, nesta terça-feira (7). A coordenadora do CITI Marisa Satiko e o servidor Leonardo Mamann, membro da equipe, deram o panorama geral do novo sistema, apresentaram dados e prazos a serem executados.

“A chave para o sucesso do CITI reside na sua abordagem inovadora, que incorpora a modernização, a tecnologia e a inteligência de dados em todas as etapas do processo. O objetivo é transformar radicalmente a maneira como o transporte de passageiros é gerenciado e aprimorado, tornando-o mais eficiente, confiável e orientado por dados”, destacou a coordenadora.

Painéis informativos e a facilidade ao usuário

Uma das principais inovações introduzidas pelo CITI será a instalação de painéis informativos em rodoviárias estratégicas e aptas para uso, proporcionando aos passageiros acesso imediato a informações sobre horários, itinerários e condições de transporte.

Até o momento, são 18 terminais rodoviários aptos que terão instalação imediata, com duas telas cada, com exceção de Campo Grande que terá seis telas informativas. Os terminais aprovados foram avaliados por ter boa estrutura e segurança para os equipamentos.

Nela usuários poderão ver nas telas horários de partidas e chegadas das viagens, horários previstos e também possíveis atrasos. O objetivo é informar o usuário com precisão e objetividade.

“Esse é o nosso objetivo, garantir que cada pessoa que deseja viajar tenha a informação precisa ao alcance das mãos. O CITI, com sua revolução tecnológica e inovação no transporte de passageiros, representa um salto significativo em direção a um futuro mais moderno e tecnologicamente avançado no transporte do Mato Grosso do Sul”, comenta o diretor-presidente da Agems, Carlos Alberto de Assis.

Informação na palma da mão

Além disso, foi desenvolvido um aplicativo para smartphone que permite aos passageiros planejar suas viagens, comprar bilhetes e acompanhar status de percurso e horários previstos. Essa conectividade digital vai revolucionar a experiência do passageiro e dar mais praticidade durante as viagens.

O aplicativo está em processo final de implementação e identidade visual. A previsão é que ainda neste ano seja disponibilizado para teste até ser completamente utilizado pelo sistema.

CITI na prática

A verdadeira força do CITI, no entanto, está na capacidade de integrar as várias áreas do sistema de transporte de passageiros. Isso inclui a gestão de dados, a análise e cruzamento de informações, a geração de relatórios gerenciais programáveis e o acompanhamento remoto da fiscalização.

Um dos maiores desafios que o CITI enfrentou foi a consolidação de dados. Ao longo de dois anos, a equipe da Câmara de Regulação Econômica se dedicou a coletar e depurar um gigantesco conjunto de dados que antes estavam dispersos ou desordenados em antigos bancos de dados e até mesmo em documentos de papel que futuramente serão totalmente digitais.

Além disso, o CITI vai monitorar de perto os indicadores de desempenho dos transportadores, garantindo que os serviços atendam aos mais altos padrões de qualidade e segurança.

Para esse objetivo, as empresas de transportes devidamente reguladas já estão recebendo suporte e todo apoio dos técnicos da Agência de Regulação para adaptação do novo sistema.

“Essa tarefa monumental permitiu ao CITI obter uma visão mais clara e abrangente do sistema de transporte de passageiros, possibilitando uma gestão mais eficaz e informada. Com o CITI, estamos trazendo o transporte de passageiros para a era digital, onde a informação é poder, e cada viajante pode desfrutar de uma experiência mais segura e agradável”, destaca a diretora de Transportes, Ferrovias, Portos e Aeroportos, Caroline Tomanquevez.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *