13/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Reinaldo Azambuja diz que Mato Grosso do Sul é um avião que decolou na economia

“Em sete anos e dez meses, nós saímos da nota zero para nota 10 em capacidade fiscal”, disse o governador

Publicado em 18/10/2022 2:14 - Semana On

Divulgação Governo de MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em agenda no interior do Estado nesta terça-feira (18), o governador Reinaldo Azambuja afirmou que “Mato Grosso do Sul é um avião que decolou” na economia e na prestação de serviços à população. Reinaldo esteve em Coxim para se reunir com prefeitos da região Norte. Na cidade, ele citou indicadores positivos conquistados pelo Estado em suas duas gestões frente ao governo.

“Em sete anos e dez meses, nós saímos da nota zero para nota 10 em capacidade fiscal. Somos o primeiro Estado em crescimento na pandemia, pois soubemos dosar vacinação e menos restrição das atividades econômicas. Também somos o maior Estado em investimento por habitante no Brasil, com R$ 467 por pessoa. O segundo colocado é Santa Catarina, com R$ 320. São Paulo, por exemplo, investe R$ 180 por habitante. Temos capacidade três vezes maior para investir em obras, saneamento, escolas em tempo integral, segurança e vários outros projetos para apoiar os municípios”, destacou o governador.

Reinaldo também ressaltou avanços nas principais áreas do serviço público. Com a estruturação da saúde, segundo ele, só 10% dos pacientes de alta e média complexidade do interior são atendidos em Campo Grande. Em 2015, eram 46%. Na área social, o Estado paga 247 mil benéficos todos os meses com os programas “Mais Social” e “Energia Social”. Juntos os programas distribuem R$ 1 bilhão em renda. Na infraestrutura, R$ 3,7 bilhões garantiram a pavimentação de 1.270 quilômetros de rodovias. Na educação, o número de escolas em tempo integral saltou de zero para 131. Na segurança, novas viaturas, equipamentos e policiais reforçaram a posição estratégica de Mato Grosso do Sul no cenário nacional.

Para o governador, a execução de projetos de desenvolvimento regional contribuiu com o crescimento econômico do Estado. “Governar não é vender sonhos. Sentamos com todos os 79 municípios, ouvimos as prioridades locais e executamos projetos regionais, dentro de um governo municipalista. Fizemos um trabalho de luta pelo Mato Grosso do Sul, que é hoje um estado que está bem”, pontuou.

A dois meses de encerrar seu segundo mandato, Reinaldo Azambuja ainda disse que entregará o governo com as contas em dia. “Muitos governantes entregam governos com problemas para quem assumir com casca de banana escorregar. Nós vamos entregar o governo com todas as folhas de pagamento pagas e com dinheiro em caixa para as obras em andamento serem concluídas. Fizemos o deve de casa”, afirmou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *