17/07/2024 - Edição 550

Mato Grosso do Sul

Quais os caminhos a serem trilhados pelas empresas para implantar a cultura de inovação nos negócios?

Executivos de grandes empresas debateram o tema na Fiems

Publicado em 30/09/2022 1:36 - Semana On

Divulgação FIEMS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Quais os caminhos a serem trilhados pelas empresas para implantar a cultura de inovação nos negócios? Como estimular a formação de talentos para a indústria do futuro? Esses e outros questionamentos foram debatidos por um time de líderes empresariais durante a segunda edição do Sistema Fiems Experience. O evento reuniu na quarta-feira (28), no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande, quatro executivos de grandes companhias nacionais para discutir temas como competitividade, impacto social e estratégias de sucesso.

Promovido pelo Sistema Fiems em parceria com o LeaderX, o evento foi acompanhado por diretores do Sistema Indústria, empresários e convidados. A transmissão ao vivo e de graça pela internet garantiu uma experiência digital a todos os interessados.

O chefe de gabinete da presidência da Fiems, Robson Del Casale, abriu o evento representando o presidente da entidade, Sérgio Longen, e destacou a importância de receber líderes empresariais de renome nacional para compartilhar exemplos de sucesso.

“A Federação das Indústrias é a casa do empresário. Esse encontro é fundamental para que a gente possa conversar de uma forma técnica sobre competitividade, investimentos e geração de emprego e renda. O presidente Sérgio Longen é entusiasta da ideia de reconhecer boas práticas e poder levá-las aos nossos empresários, para serem aplicadas no dia a dia das empresas”, disse Del Casale.

CONFIRA A GALERIA DE IMAGENS

Para o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, não há como falar em competitividade da indústria sul-mato-grossense nos dias atuais sem passar pela inovação. Diante desses desafios, o governo estadual tem desenvolvido uma série de iniciativas para apoiar indústrias que desejam inovar em seus produtos e processos.

“Temos feito uma série de editais, principalmente voltados às universidades e inclusive em parceria com o Sistema Fiems, onde buscamos desenvolver novas startups, novas tecnologias e novos produtos. O caminho da inovação é a indústria inovadora, empresário inovador, capacitação das pessoas, e o poder público direcionando recursos para aquelas atividades que consideramos mais importantes e competitivas”, pontuou Verruck.

Painelistas defendem cultura de inovação como diferencial competitivo para empresas

Jeane Tsutsui é presidente do Grupo Fleury, uma das maiores empresas de medicina e saúde do país. A executiva afirma que a cultura de inovação é fundamental para que a empresa mantenha alcance suas metas de crescimento e expansão. “Cada vez mais a inovação se torna um diferencial competitivo. A gente tem inovado não só em produtos e serviços, como em modelos de negócios. Atualmente nos consideramos uma plataforma de saúde graças a essa visão de inovação”, obs.

Presente no mercado brasileiro de amido desde 2011, a Tereos Amidos e Adoçantes investe em novas tecnologias para elevar a produtividade da mandioca. O CEO da companhia, Kwami Alfama, se diz um entusiasta da inovação como diferencial para a sustentabilidade dos negócios.

“Sempre falo que se eu tivesse uma moedinha para investir, considerando a realidade brasileira, eu investiria em uma cultura de aprendizado contínuo, o que para mim é a base para que tenhamos um processo de inovação. Você pode olhar o copo meio vazio e dizer que a cultura da mandioca é informal e tem baixo desenvolvimento, ou olhar o copo meio cheio e ver que existe muito espaço para desenvolver e inovar”, justifica o executivo.

Quem também acredita na inovação como chave para o crescimento das empresas é Fábio Roth, CEO da 5àSec, rede de lavanderias com presença global. Para o executivo, as companhias só se tornam relevantes no mercado se tiverem capacidade de inovar em um mercado em constantes transformações.

“A 5àSec sempre esteve na vanguarda. Na chegada ao Brasil, em 1994, trouxemos as tecnologias de limpeza a seco e de ‘wet cleaning’. Procuramos fomentar um ecossistema que propicia a inovação, por isso conseguimos tornar a marca relevante no contexto brasileiro e internacional”, explica Roth.

Líder em produtos de limpeza e higiene para o mercado institucional e de alimentos e bebidas, a Diversey tem quase um século de história. No Brasil, a companhia é presidida por Marco Godoy, que acredita na inovação como pilar para a sustentabilidade dos negócios.

“A Diversey tem 99 anos no mercado, e essa longevidade faz com que ela seja jovem. Você não consegue se manter 100 anos no mercado se você não tem um processo de inovação. A inovação vem justamente responder as dores dos nossos clientes. Dentro da Diversey, existe um processo de captura de profissionais que podem trazer esse nível de qualidade, resolvendo os problemas dos nossos clientes”, explica Godoy.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *