22/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Polícia Militar Rural atua para impedir crimes no campo em todo o MS

Crimes contra o patrimônio e contra a vida registram quedas expressivas no Estado

Publicado em 22/03/2024 10:08 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Para impedir crimes na área rural de Mato Grosso do Sul, o Batalhão de Polícia Militar Rural realiza a primeira operação – Carcará I – com foco nas ações de prevenção e repressão, especialmente relacionadas ao crime de abigeato (furto de gado).

Como parte das ações, iniciadas em fevereiro, o Batalhão iniciou mais uma etapa do trabalho no município de Bela Vista, com o apoio do GPA (Grupamento de Policiamento Aéreo da Polícia Militar), serviço de inteligência e 1° Batalhão de Polícia Militar Ambiental.

A intensificação do policiamento será mantida por 90 dias em Bela Vista e região, com constante monitoramento e troca de informações com os produtores rurais, de acordo com informações do Comando de Policiamento Rural da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul).

Na primeira fase da operação foram recuperadas 25 cabeças de gado, além de dois autores de abigeato e três foragidos que foram presos, além de armas apreendidas, entre outros itens recuperados.

Em Bela Vista, durante toda a semana não foram registrados crimes de abigeato, como resultado da eficiência do trabalho preventivo que continuará nos próximos meses. A previsão é de que novas edições da operação sejam realizadas na região sul e no Pantanal, com protocolos direcionados às características de cada localidade.

O Batalhão de Polícia Militar Rural é uma unidade especializada da Polícia Militar que foi criada para atender as demandas do campo, com atuação técnica e direcionada para a realidade de cada macrorregião do Estado.

A primeira fase da Operação tem como principal objetivo combater os crimes de abigeato, intensificando a execução do policiamento com ações de caráter preventivo, de acordo com a necessidade identificada. A ação conta com atuação de várias equipes rurais em todo Estado, com apoio de outras unidades da Polícia Militar.

Campo mais seguro

O Batalhão faz o monitoramento de aproximadamente 10 mil propriedades rurais como parte do programa ‘Campo Mais Seguro’, da Polícia Militar, com atuação de policiamento especializado nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

O trabalho do Batalhão de Polícia Militar Rural permite a padronização de protocolos e ações, e com isso tem conseguido êxito em diversas operações, evitando crimes de abigeato e ainda efetuando prisões de envolvidos em outros tipos de roubo, furto e crimes diversos nas propriedades rurais.

Em uma situação de emergência, caso ocorra algum crime em uma das fazendas monitoradas, a polícia do município recebe informações precisas sobre a localização da propriedade. “A equipe recebe fotos de como chegar na fazenda, dos funcionários, e caso tenha alguém estranho coagindo os moradores, é mais fácil de identificar”, afirmou Pavão.

As propriedades monitoradas são identificadas por meio de uma placa, e o cadastro oferece todas as informações necessárias, além da localização, contatos, foto dos proprietários e funcionários, especificação dos animais, maquinários e demais itens. Também é organizada uma rede de informações e alerta entre os vizinhos

O programa ‘Campo Mais Seguro’ permite a troca constante de informações entre a polícia e a população rural, por meio da ‘rede de vizinhos em alerta’, bem como a visita técnica e o monitoramento das propriedades rurais. Na visita técnica o Batalhão de Polícia Militar Rural identifica os pontos vulneráveis, indicando soluções, além de apresentar dicas de segurança à população do campo para prevenção de crimes. A propriedade rural passa a fazer parte do sistema de monitoramento e recebe uma placa de identificação na porteira da fazenda, chácara ou sítio.

Os resultados são frutos da intensificação da presença da Polícia Militar no meio rural, com apoio da ‘rede de vizinhos em alerta’, com a maior inteiração entre os policiais militares e os moradores do campo, onde as informações são repassadas de forma rápida, com mais eficiência nas ações

Serviço

O produtor rural que deseja participar do programa ‘Campo Mais Seguro’ pode entrar contato com a Polícia Miliar Rural e solicitar a visita técnica, pelo número (67) 99202-1116. Em casos de urgência e emergência, o atendimento é feito pelo número 190.

Crimes contra o patrimônio e contra a vida registram quedas expressivas em Mato Grosso do Sul

Dados divulgados pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) mostram que os crimes contra o patrimônio e contra a vida, que são os que mais impactam a população, registraram quedas expressivas em Mato Grosso do Sul nos meses de janeiro e fevereiro de 2024, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Nos crimes contra o patrimônio, as maiores quedas foram registradas nos roubos em residências (-32,6%) e dos roubos em vias urbanas (-29,3%), seguidos dos roubos totais (28,2%), roubos a comércios (-27%), furtos gerais (-14,3%) e furtos em residências (-7,6%).

Em Campo Grande, as quedas foram ainda mais expressivas, chegando a -100% nos roubos seguidos de morte, -36,7% nos furtos em residências, -31,4% nos roubos em vias urbanas e -28,4% nos roubos totais.

Para o comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, coronel Renato dos Anjos Garnes, as expressivas quedas nos crimes contra o patrimônio refletem a intensificação do trabalho ostensivo e preventivo realizado pela PM, que tem como principal objetivo a redução da criminalidade com foco no bem estar da sociedade.

“A Polícia Militar vem trabalhando arduamente com o aumento da presença policial em locais estratégicos através dos levantamentos de inteligência e mancha criminal”, destaca o Garnes.

O monitoramento diário de registros de crimes contra o patrimônio, aliado a estratégia de repressão dos delitos, é fator que, no ponto de vista do delegado Fábio Brandalise, titular da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), também contribuiu para a queda dos índices criminais.

“É um conjunto de ações e estratégias na repressão, sempre demonstrando ao Poder Judiciário a necessidade de manter presos aqueles indivíduos perigosos e contumazes na prática de roubos e furtos”, pontua o delegado.

A redução dos índices criminais tem refletido em mais sensação de segurança entre a população em geral e os comerciantes de Campo Grande. É o que afirma o presidente do Conselho Comunitário de Segurança do Parati/Piratininga e Região, Irwing Ferreira. “Todos tem notado essa queda nos roubos e furtos, em casas e comércios, e para nós é importante que haja continuidade dessa redução criminal que estamos percebendo”, frisa.

Expressivas quedas foram registradas pela Sejusp também nos crimes contra a vida. Em Campo Grande, os feminicídios caíram -50% e os homicídios dolosos caíram -35,7%. Já em nível estadual a queda dos homicídios dolosos foi de -17,3%.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *