15/06/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Para combater a nova Varíola, Governo cria centro de operações de emergência

Para o secretário de Saúde, Flávio Britto, este é o momento onde todos precisam unir forças para o enfrentamento da doença no Estado

Publicado em 19/08/2022 11:11 - Semana On

Divulgação Pixabay

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizou a primeira reunião do Centro de Operações de Emergência para Monkeypox (COE – Monkeypox) onde apresentou o panorama sobre a situação epidemiológica da doença no Estado. O encontro aconteceu na Sala Situação, de forma virtual, com a participação de diversas instituições que integram o grupo.

Para o secretário de Estado de Saúde, Flávio Britto, este é o momento onde todos precisam unir forças para o enfrentamento da doença no Estado. “O Grupo Técnico criado para a Monkeypox (GTM) envolve diversos setores da saúde que tem acompanhado a pari passu toda a situação epidemiológica da doença no Estado. A instalação do COE – Monkeypox permite que toda a sociedade representada por meio destas instituições, participe de tomada de decisões importantes para este enfrentamento da doença”.

O assessor militar da SES, Coronel Marcello Fraiha, que ao lado da secretária-adjunta da SES, Crhistinne Maymone, conduziram a reunião, destacou que este encontro serviu para alinhar as atribuições que competem ao COE, ações que possam subsidiar a Secretaria de Estado de Saúde na adoção de medidas de combate ao Monkeypox.

“Nós tivemos a oportunidade de mostrar a eles, além do cenário epidemiológico tanto no mundo, quanto no Brasil e no Mato Grosso do Sul, mostrar todas as ações que a Saúde já adotou até o momento: desde a criação da sala de situação, do grupo técnico da Monkeypox, das notas técnicas orientativas, Plano de Contingência que já temos publicados, assim como os treinamentos de manejo e condutas de enfrentamento à Monkeypox, biblioteca virtual, painel do cenário epidemiológico em nosso Estado”, pontua Fraiha.

O coronel ainda lembra que algumas entidades irão auxiliar na divulgação de mais treinamentos de manejo clínico de pacientes para todos os profissionais de saúde tenha a orientação devida para recepcionar qualquer paciente que possa ser apresentar como caso suspeito. “E assim, possam ser realizados os devidos encaminhamentos”, completa o assessor militar da SES.

Conforme a Resolução Nº 89/SES/MS, publicada no Diário Oficial do Estado, participam do COE – Monkeypox: Conselho Estadual de Saúde (CES); Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso do Sul (COSEMS/MS); Instituto Oswaldo Cruz (FIOCRUZ/MS); Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA/MS); Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD); Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS); Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS); Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) e Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI).

COE – Monkeypox

Tem como objetivo promover resposta coordenada por meio da articulação e integração dos atores envolvidos com o tema, cuja estrutura organizacional subsidiará a tomada de decisão da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES), por meio de análise de dados e informações, possibilitando assim, a definição de estratégias e ações adequadas para o enfrentamento de emergências em saúde pública no âmbito estadual.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *