13/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

No MS Day, em SP, Riedel garante $ 5,5 bilhões em novos investimentos para o Estado

‘Conectividade, sustentabilidade, investimentos em logística e qualificação são atrativos para o empresariado e caminho para o desenvolvimento’, afirmou o governador

Publicado em 02/08/2023 9:45 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com potencial para novos investimentos em diversos setores, Mato Grosso do Sul se consolida como um dos estados que mais cresce no Brasil. A vitrine de possibilidades oferecida em diversos segmentos econômicos foi apresentada pelo Governo do Estado durante o MS Day, realizado ontem em São Paulo (SP), com R$ 5,5 bilhões em negócios confirmados.

O evento reuniu aproximadamente 400 empresários de 25 grupos diferentes – incluindo alimentos e celulose. O ambiente de negócios seguro e saudável é chamariz para novas instalações de empresas e indústrias em terra sul-mato-grossense, que tem como destaque solo e clima favoráveis, além de proporcionar a logística necessária para o crescimento privado e com isso gerar emprego e renda para a população.

“O MS Day expôs o Mato Grosso do Sul para o mercado como um todo. As empresas puderam conhecer o Estado, potencialidades, competitividade. Bons projetos foram anunciados. É assim que a gente vai construindo com o empresariado, em parcerias. Num caminho só, da prosperidade, do desenvolvimento, da inclusão, é o que buscamos. Foram anunciados mais de R$ 5 bilhões em investimentos já consolidados e uma série de oportunidades que apareceram. O balanço é extremamente positivo para o Mato Grosso do Sul”, afirmou o governador Eduardo Riedel.

O evento reuniu representantes de indústrias e empresas nacionais e estrangeiras já instaladas em Mato Grosso do Sul, e outras que demonstram interesse em investir no Estado, para conhecer as potencialidades e oportunidades evidenciadas durante o MS Day.

A parceria de sucesso do Governo do Estado com a FIEMS (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Su) – com apoio da CNI (Confederação Nacional da Indústria) – em São Paulo (SP), contribuiu para o sucesso da ação.

“É uma parceria de muito sucesso do Governo com a Fiems. Mato Grosso do Sul é um Estado simples, desburocratizado, que tem regras claras e transparência, onde a relação é olho no olho, com interesse no coletivo e no desenvolvimento. Quem vier, vai encontrar esse ambiente de negócios saudável. Somos um Estado que tem harmonia institucional entre os poderes, entre o setor público e privado, e que anda em um caminho só, o da prosperidade, desenvolvimento e inclusão”, afirmou Riedel.

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, que também é vice-presidente da CNI, avaliou positivamente o MS Day e enalteceu o alinhamento estratégico entre os setores públicos e privados em prol do desenvolvimento econômico e social do Estado.

“Temos uma particularidade, que é um governo empenhado no desenvolvimento da economia e do setor privado. Quando um governo proporciona essa condição, o desenvolvimento vem de forma diferenciada. Apresentamos essa aliança nova e moderna, que é a integração do poder público com o setor empresarial. Para nós, da Fiems e da CNI, esse é um marco importante e um modelo que merece ser replicado para outros estados. Estamos em franco desenvolvimento e vivemos o pleno emprego”, disse Longen.

O modelo desenvolvido pelo Governo do Estado, em parceria com a Fiems, também foi reconhecido ela ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet. “Mato Grosso do Sul é a terra de oportunidades, como é o Centro-Oeste de um modo geral, e o Brasil. A importância desse evento para o próprio Estado, que é mostrar para o Brasil e o mundo as potencialidades pela logística, localização, terras, águas – temos duas bacias hidrográficas importantes -, pelo clima, solo, pela sua gente, mão de obra, que hoje está sendo qualificada. E é isso que nós queremos para o Mato Grosso do Sul, crescimento, geração de emprego e renda. O que aconteceu é um exemplo do que nós queremos que aconteça em todos os estados da federação brasileira”.

Entre os investimentos anunciados durante o MS Day estão os das empresas Raízen, Atvos e Inpasa. “Nossos objetivos foram alcançados como a divulgação feita pela empresa Raízen, com a expansão de um novo produto, que é o etanol de segunda geração, com investimentos de R$ 1,3 bilhão. O anúncio da Atvos, empresa produtora de açúcar e etanol, presente em Mato Grosso do Sul, e que vai realizar investimentos de aproximadamente R$ 3 bilhões nos próximos 3 anos para a ampliação da base agrícola, na produção de cana e modernização da linha de produção de etanol no Estado. E, por último, o anúncio da Inpasa, com uma nova planta de etanol de milho, em Sidrolândia, e aporte de R$ 1,2 bilhão”, disse o secretário Jaime Verruck (Semadesc).

Interesse em MS

O conselheiro e acionista da Caramuru – uma das principais empresas brasileiras de processamento de soja, milho, girassol e canola –, Alberto Borges de Souza, apontou a relevância do MSDAY. “Dá visibilidade para aquilo que o Mato Grosso do Sul já faz há muitos nãos, e com muita competência. Mas agora cria-se oportunidade de dar visibilidade a nível nacional, para continuar atraindo investimentos e interesse pelo Estado”.

Atualmente a Caramuru emprega 2,5 mil pessoas em sua sede, localizada em Goiás. “Somos processadores de soja, milho e girassol. Atuamos também na armazenagem de grãos, hidrovia, ferrovia, e nos três portos brasileiros, com o biodiesel e produtos de consumo da marca Sinhá. É um grupo forte de industrialização no agronegócio brasileiro”, afirmou Souza.

No evento em São Paulo, o representante da empresa confirmou que há possibilidade de investimentos futuros da Caramuru no Estado. “Na verdade, a gente já tinha bastante conhecimento e relacionamento com o Mato Grosso do Sul. O que nós sentimos hoje é que reforça a credibilidade e os laços de interesse. A gente tem uma longa história de diálogo com o Mato Grosso do Sul, que é de interesse para a Caramuru para fazer novos investimentos. Temos muito interesse, em especial na região de Chapadão do Sul, porque está conectada com a ferrovia e com o Porto de Santos”, disse o empresário.

Além de apresentar os principais programas e projetos do Governo do Estado para a classe empresarial do País, o MS Day tem como proposta mostrar o bom ambiente de negócios criado em Mato Grosso do Sul que atrai grandes investimentos privados.

Investimento consolidado

É o caso do Projeto Cerrado, de construção da unidade da Suzano em Ribas do Rio Pardo, maior investimento privado em execução no mundo. O presidente da Suzano, Walter Schalka, participa do MS Day e assegura o cenário favorável e de crescimento no Estado.

“No Mato Grosso do Sul tem a possibilidade de fazer investimentos com velocidade, com qualidade. Tem uma infraestrutura adequada. Tem uma forma de relação com as empresas que é muito positiva e muito contributiva, sempre com qualidade. E a disponibilidade de terras, áreas e competitividade florestal e industrial, que nos levaram a fazer investimentos relevantes”.

O espaço de competitividade beneficia o planejamento da indústria, que será a maior do mundo no seguimento da celulose. “Mato Grosso do Sul vai ter a fábrica, não apenas a maior linha de produção de celulose do mundo, mas a mais competitiva globalmente. O nosso custo de produção de celulose em outras regiões é superior ao que teremos lá. Nós imaginamos, estar operando com custo estrutural ao longo do tempo de US$ 100 (cem dólares) a tonelada, que é o menor custo mundial”, firmou Schalka.

A realização do MS Day, com a apresentação de informações importantes para a tomada de decisões por parte dos investidores, também foi elogiada pelo empresário. “Olha eu tenho que parabenizar o Governo de Mato Grosso do Sul e todos que estiveram envolvidos, inclusive a Federação da Indústria, porque é fundamental fazer isso para atrair novos investimentos para o Estado. O Estado continua num ritmo acelerado de desenvolvimento, uma taxa baixíssima de desemprego, porque vai gerando oportunidade de trabalho. Então, acho que o Estado está crescendo proporcionalmente muito mais do que outros estados do Brasil, por atrair investimentos e faz isso de uma forma muito adequada e com muita competitividade”, finalizou.

Outra indústria com investimentos no ramo da celulose é a Arauco, que tem previsão de começar a erguer sua planta no município de Inocência, localizado na região conhecida como o ‘Vale da Celulose’, a partir de 2025, finalizando a construção até o primeiro trimestre de 2028. No auge das obras, 12 mil empregos devem ser gerados ali, enquanto cerca de 2 mil postos de trabalho devem permanecer ativos nas operações industrial e florestal.

“Mato Grosso do Sul é um estado que reúne uma série de condições atrativas ao investimento. É um Estado bem resolvido economicamente, com planejamento de longo prazo e está olhando o setor florestal de forma estratégica. Essas são algumas das razões da escolha por Mato Grosso do Sul. Em relação a localização, tem o clima extremamente favorável ao cultivo do eucalipto e a localização favorável ao escoamento logístico. Ali ficamos próximos da ferrovia de bitola larga, o que nos dá toda uma vantagem competitiva e de sustentabilidade ao projeto”, apontou o diretor da Arauco, Mário José de Souza Neto.

Em Mato Grosso do Sul, a Arauco já possui a Mahal, empresa florestal que tem mais de 60 mil hectares de florestas cultivadas em seis cidades na costa leste sul-mato-grossense: Inocência, Água Clara, Três Lagoas, Aparecida do Taboado, Selvíria e Chapadão do Sul.

A perspectiva é que no auge da operação, sejam explorados 285 mil hectares de eucaliptos. A nova fábrica propõe também ter alta eficiência energética, criando um excedente de energia elétrica de 200 mW oriundo do reaproveitamento de biomassa (cascas, lignina, entre outros insumos) não utilizada no processo da fabricação da celulose.

“O valor da primeira linha está estimado em US$ 3 bilhões e devemos criar cerca de 550 empregos diretos na planta e 1,2 mil no setor florestal. Mais ou menos 2 mil empregos diretos, fora os empregos criados em toda cadeia de produção. Você multiplica isso aí por quatro, cinco vezes, somando todos fornecedores diretos e indiretos da planta de celulose”, explicou Neto.

Conectividade é um dos atrativos de Mato Grosso do Sul para receber novos investimentos

A conectividade é um dos pontos estratégicos para atrair novos investimentos para o Mato Grosso do Sul. Durante as reuniões que ocorrem no MS Day, ficou evidente a preocupação dos empresários em garantir um ambiente favorável ao processo industrial 4.0.

O governador Eduardo Riedel destacou que um dos projetos mais ousados em andamento no Estado é a digitalização dos equipamentos públicos e oferta de novos serviços para a população. Executada por uma multinacional chilena, vencedora do certame na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), a iniciativa vai levar fibra ótica para os mais de 1500 prédios públicos nos 79 municípios do estado.

“Isso é competitividade para o setor privado. A iniciativa privada chega com uma indústria e pergunta como está a conectividade no estado”, respondeu Riedel, durante coletiva de imprensa no final desta manhã.

De acordo com chefe do executivo estadual, o empresariado tem à sua disposição uma infraestrutura capaz de suportar a sua competitividade. “São várias frentes de ação que nós estamos promovendo e o MS Day tem o propósito e o objetivo de chamar o empresariado nacional que está aqui em São Paulo e fazer parcerias. O Mato Grosso do Sul é uma terra de oportunidades, que atrai pessoas que querem qualidade de vida e buscam uma oportunidade de trabalho, emprego e renda e vão encontrar no estado”, destacou.

Para a secretária Especial de Parcerias Estratégicas (EPE) do Estado de Mato Grosso do Sul, Eliane Detoni, a Infovia Digital é um projeto de infraestrutura elaborado para estancar gargalos e trazer conectividade para o estado.

“Quando a gente fala de conectividade não estamos falando apenas em trazer infraestrutura só para empresas e indústrias que se instalam, mas também melhorar a qualidade na prestação de serviços na área pública. A Infovia vai conectar todas as unidades do estado por meio de fibra ótica, com mais de 7 mil km de extensão, disponível em 119 praças públicas e que receberão o wi-fi gratuito. Então, estamos falando de inclusão digital, tão importante hoje em dia”, garante Detoni.

O projeto também contará com videomonitoramento. “Mais um vez, estamos cuidando de todo um aspecto de segurança pública, com câmeras instaladas nas rodovias, visando a segurança viária. Este futuro já está acontecendo hoje no Mato Grosso do Sul. A nossa intenção é que consigamos antecipar as entregas. A concessionária tem até o próximo ano para finalizar o estado todo conectado. Estamos falando de uma rede alta velocidade. Na capital, a entrega deverá acontecer no final de agosto. Temos uma perspectiva muito positiva que o estado esteja já conectado em julho de 2024”, completa.

Ainda de acordo a secretária da EPE, o MS Day permite este panorama de ampliar e dar visibilidade para o Mato Grosso do Sul.

As Parcerias Público-Privadas (PPPs) e concessões com projetos já assinados e investimentos privados somam R$ 10 bilhões. Ainda segundo a secretária, uma carteira de projetos, que está em preparação, prevê investimentos privados na ordem de R$ 18 bilhões.

“A logística de transporte tem sido uma tônica, um setor pensado com muito cuidado e responsabilidade para que a gente possa pensar numa integração destes modais de transporte e cada vez mais entregar infraestrutura adequada para suportar o trânsito de mercadorias e garantir a trafegabilidade das rodovias com segurança para os usuários. Além das rodovias já concessionadas, os próximos lotes que estamos modelando inclui projetos de aeroportos regionais e também hidrovia, com um ancourado em Porto Murtinho para o setor investir com segurança no Mato Grosso do Sul”, diz Eliane Detoni.

Riedel cita obras de logística e qualificação para atrair novas empresas

Riedel afirmou Que além das obras de infraestrutura e logística, também tem como prioridade a qualificação profissional dos trabalhadores do Estado, que assim vão atender a demanda do mercado, e preencher as vagas abertas em diferentes setores. Este ambiente positivo de investimentos e capacitação poderá atrair mais empresas ao Mato Grosso do Sul.

“Estado atravessa um momento de desenvolvimento, com nível de desocupação mais baixo da história, mas para aquele que não conseguiu esta colocação, e tem vaga aberta, vamos contribuir para qualificar esta pessoa, capacitá-la ao mercado de trabalho, buscando sua formação e capacitação”, afirmou.

Riedel lembrou que para isto tem parcerias com iniciativa privada e “Sistema S”, até porque precisa incluir os sul-mato-grossenses que não estão dentro do processo de prosperidade do Estado. “Temos que fazer este resgate, se precisar com programa de renda direta, mas principalmente na qualificação e educação”.

O Estado inclusive lançou neste ano o programa “MS Qualifica”, que vai justamente atuar na capacitação de profissionais, para atender as principais demandas do mercado. O primeiro projeto em andamento é o “Voucher Transportador”, que irá qualificar até mil motoristas de cargas.

Desenvolvimento sustentável

Durante o evento o governador ainda ressaltou a importância da capacidade do Estado investir em obras de infraestrutura e logística, criando um ambiente positivo e propício para recebe grandes investimentos privados. São obras em rodovias e estradas que dão competitividade ao setor econômico.

“Outro ponto importante é a harmonia entre o Estado e os agentes institucionais e políticos, que aqui sentam e conversam, tendo o mesmo olhar voltado para o desenvolvimento do Estado, alinhados na mesma direção, pensando em médio e longo prazo”, ponderou.

Uma das marcas do Estado que foi destacada é a “responsabilidade socioambiental”, com o desenvolvimento sustentável nos três biomas do Estado: Pantanal, Mata Atlântica e Cerrado. “Quando falamos de Estado Carbono Neutro não é uma retórica política e sim uma política pública bem planejada”.

Com Rota Bioceânica protagonista, infraestrutura de MS é impulsionada por investimentos

Que Mato Grosso do Sul possui potencial para se tornar um grande hub logístico do Mercosul devido a sua posição entre grandes centros brasileiros e os países parceiros não é novidade, contudo agora a projeção deixa de ser apenas algo futuro para se tornar uma realidade do presente com o aporte de investimentos significativos em infraestrutura.

A protagonista desse salto na área é a Rota Bioceânica, projeto que está em execução e deve mudar a lógica geopolítica e econômica sul-americana, ampliando o comércio, indústria, turismo e outros setores, ligando o Brasil aos portos no norte do Chile – rota de acesso mais curta e barata aos mercados asiáticos, atual grande filão da economia.

Contudo, o desenvolvimento de tal rota demanda investimentos de grande porte que vão desde a construção de ponte sobre o rio Paraguai (já em execução), entre Porto Murtinho e a paraguaia Carmelo Peralta, até a qualificação das rodovias já existentes no Estado.

“São investimentos absolutamente essenciais para esse processo que estamos vivendo, um momento de crescimento e desenvolvimento. Boa parte deles foram confirmados e serão anunciados no próximo dia 11 de agosto”, explica o governador Eduardo Riedel.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *