22/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

MS registra baixa de 4,5% em assassinatos no 1º trimestre de 2023

Governador Eduardo Riedel destaca investimentos em segurança pública

Publicado em 21/06/2023 8:59 - Gabrielle Tavares (G1MS), Semana On – Edição Semana On

Divulgação Bruno Rezende - Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O número de assassinatos caiu 4,5% em Mato Grosso do Sul nos primeiros três meses deste ano, média maior que a nacional, que teve baixa de 0,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais de 26 estados e do Distrito Federal.

Enquanto o estado teve 132 mortes no primeiro trimestre de 2022, foram 126 no mesmo período deste ano. A pesquisa contabiliza homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de morte.

O índice mostra apenas dados estaduais. No entanto, estatísticas da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), mostram que foram 38 mortes violentas em Campo Grande entre janeiro, fevereiro e março de 2023. Até junho, são 59.

Uma dessas mortes chocou todo país: Sophia Jesus Ocampo, de apenas 2 anos, que foi espancada e morreu em decorrência dos ferimentos no dia 26 de janeiro. A mãe da criança e padrasto são os principais suspeitos. A declaração de óbito apontou trauma na coluna cervical, que evoluiu para o acúmulo de sangue entre o pulmão e a parede torácica. O documento ainda diz que a menina sofreu “violência sexual não recente”.

No Brasil, foram 10,2 mil assassinatos nos três primeiros meses deste ano, baixa de 0,7%. No ano passado, a queda foi de 1%, como apontou um levantamento exclusivo do Monitor da Violência. Além disso, houve 40,8 mil mortes violentas intencionais no país no ano passado, o menor número de toda a série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública pelo segundo ano seguido.

Segundo especialistas do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP), o menor número de mortes é motivado por um conjunto de fatores, incluindo: mudanças na dinâmica do mercado de drogas brasileiro; maior controle e influência dos governos sobre os criminosos; apaziguamento de conflitos entre facções; políticas públicas de segurança e sociais; e redução do número de jovens na população.

Quatro, das cinco regiões do país tiveram queda: Centro-oeste (-5,2%), Nordeste (-3%), Norte (-4,2%) e Sul (-5,7%). A única região do país a apresentar alta nos assassinatos é o Sudeste (+8,2%).

Equipamento irá aumentar esclarecimento de crimes com armas de fogo em MS

O governador Eduardo Riedel destacou os investimentos em segurança pública como fator importante neste resultado. “Esta é uma área sensível para nós, que continuará recebendo muita atenção”, afirmou.

Nesta semana o Estado recebeu uma ferramenta inédita de balística, que vai fornecer informações estratégicas para auxiliar investigações e aumentar a taxa de resolução de crimes cometidos com armas de fogo.

Os equipamentos que produzem imagens em alta definição de projéteis e estojos encontrados em locais de crime custam R$ 3,6 milhões e foram adquiridos por meio de parceria entre a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) e a Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública).

A nova ferramenta que está sendo implantada no Estado irá substituir a análise manual, feita até então pelos peritos criminais. Após a instalação, os equipamentos serão interligados ao Sistema Nacional de Análise Balística, projeto estratégico do Ministério da Justiça e Segurança Pública, coordenado pela Senasp.

Conforme o coordenador-Geral de Perícias de Mato Grosso do Sul, José Anchieta Souza Silva, por meio do novo sistema de correlação, é possível identificar, tanto no Estado como em qualquer unidade da federação, casos no qual a mesma arma de fogo foi utilizada. “Mato Grosso do Sul é um estado fronteiriço, por onde passam muitas armas, sendo de fundamental importância um equipamento como este, bem como essa interligação com o Banco Nacional”, afirma.

Capacitação

Sete peritos criminais de Mato Grosso do Sul estão sendo treinados pela empresa fabricante, para aprender a manusear os equipamentos. Já no próximo mês de julho, os profissionais passarão por cursos com técnicos da Senasp. “Será um treinamento relacionado a padronização e inserção de dados no Sistema Nacional de Análise Balística”, explica a Chefe do Núcleo de Balística da Coordenadoria-Geral de Perícias, Rafaela Flore dos Santos Okuda.

Sinab

O Sinab (Sistema Nacional de Análise Balística) tem por objetivo fornecer informações estratégicas para auxiliar o sistema de segurança pública do País a compreender os padrões dos crimes com armas de fogo suspeitas, compartilhamento de armas para cometimento de crimes, atividades criminosas ligadas ao narcotráfico, grupos de extermínio e organizações criminosas.

As informações produzidas pela Rede Integrada de Bancos Balísticos, da qual Mato Grosso do Sul faz parte, servem para elaboração de ações voltadas para a redução da criminalidade com mais eficiência.

O Sinab e o Banco Nacional de Perfis Balísticos foram criados em julho de 2021, por meio do Decreto nº 10.711, que criou ainda o Comitê Gestor do Sistema Nacional de Análise Balística, composto por representantes de órgãos públicos e que tem por objetivo promover a padronização de procedimentos e técnicas de coleta, de análise de perfis balísticos e de inclusão, além de coordenar o armazenamento e a manutenção dos dados nos bancos que compõem o Sinab.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *