22/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Governo de MS vai entregar R$ 300 milhões em reformas de escolas até o final de 2024

Riedel: “Educação é prioridade absoluta para esse Estado e para esse país”

Publicado em 01/05/2023 10:32 - Semana On, G1MS - Edição Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Oferecer um espaço apto para receber centenas de alunos diariamente e que oportunize as melhores condições de aprendizagem. É com esse objetivo que o Governo de Mato Grosso do Sul vai entregar até o final de 2024 um investimento de R$ 300 milhões em reformas de escolas da REE (Rede Estadual de Ensino).

A meta foi anunciada pelo governador Eduardo Riedel, durante discurso na cerimônia de entrega da restauração da escola Maria Constança de Barros Machado, no bairro Amambaí, em Campo Grande, na semana passada.

“Sempre falei isso como secretário e falo como governador: a educação é prioridade absoluta para esse Estado e para esse país. Absoluta”, destaca o governador, sendo aplaudido pela plateia. “Temos que ter capacidade de, no dia a dia, projetar cada passo, cada ação para que possamos responder à sociedade”.

Riedel ainda completa que a escola Maria Constança será referência para as demais reformas, tanto na parte física como de equipamentos e de projeto pedagógico. “Essa maneira de pensar, trabalhar, não tenho dúvida alguma que vai ajudar na transformação de Mato Grosso do Sul”, comenta sobre os planos gerais que tem para o Estado.

Também presente no evento, o secretário estadual de Educação, Helio Queiroz Daher, defendeu que as reformas vão além do espaço físico. “Sempre entendemos que entregar uma escola vai além do prédio, do tijolo. A gente não entrega apenas uma escola bonita, entrega também dignidade para os nossos estudantes. A gente está entregando também um ambiente que eles merecem estar”, frisa.

Daher ressalta que a escola pública é para muitas crianças brasileiras o único ambiente em que comem bem, acessam banheiros adequados e se sentem acolhidas diante de questões e necessidades básicas, e por isso é tão importante um olhar atento para as escolas.

Atualmente, a Rede Estadual de Ensino conta com 348 escolas, sendo 172 delas com Ensino em Tempo Integral. Ao todo, são atendidos cerca de 185 mil estudantes somando todas as modalidades de ensino. No modelo de tempo integral, são 32 mil.

Nenhuma escola pública vistoriada tem hidrante e em 75% falta auto dos bombeiros em MS, diz TCE

Todas as escolas públicas vistoriadas pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE-MS) não possuem hidrantes. Além da falta do equipamento, não há, em 75% das instituições, auto de vistoria do Corpo de Bombeiros dentro do prazo de validade.

A operação inspecionou 18 escolas municipais, em 18 municípios, contemplando as seis regiões de Mato Grosso do Sul. As informações foram divulgadas em relatório do TCE-MS após dois dias de fiscalizações da “Operação Educação”.

Em Mato Grosso do Sul, os auditores apontaram sobre a falta de sinalização sonora em caso de incêndio. Ao todo, 85% das unidades escolares não possuem o dispositivo.

O relatório parcial também apontou que 36,36% das escolas não dispõem de recursos de acessibilidade nas vias de circulação interna para pessoas com deficiência (PCD) ou com mobilidade reduzida, como ausência piso tátil, falta de rampas, e corrimões.

58% das unidades educacionais inspecionadas não possuem coleta de esgoto, em Mato Grosso do Sul. O relatório foi divulgado de forma parcial, não detalhou os nomes das escolas e as defasagens específicas de cada instituição.

Outras irregularidades

Das 18 unidades vistoriadas, cinco (27,78%) não possuem alvará ou licença de funcionamento da infraestrutura básica de alimentação emitido pela Vigilância Sanitária. Metade das unidades possui algum tipo de inadequações em paredes das cozinhas, como rachaduras, infiltrações e mofos.

Ainda conforme o relatório, 50% das escolas tem inadequações aparentes na área de consumo dos alimentos, que variam entre refeitório, pátio e sala de aula. Entre os motivos apresentados está a falta de espaço e mobiliário.

Em relação a lazer, das 18 escolas visitadas, 15 possuem parque infantil, sendo que destes, seis (40%) unidades tem espaço considerado inadequado. Do total, quatro escolas vistoriadas contam com biblioteca e apenas uma com sala de leitura.

Laboratórios ou sala de informática com computadores estão disponíveis em seis escolas, com menção a equipamentos danificados. Ainda no setor de tecnologia, 14 unidades escolares não possuem câmeras de segurança, e das que contam com o sistema, apenas três estão em funcionamento. O botão do pânico, ou equipamento semelhante, está presente em duas, das 18 vistoriadas.

 


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *