24/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

Governo de MS reforça policiamento durante o Carnaval em Campo Grande e no interior

A partir de sexta, mais 1 mil policiais vão atuar nas cidades com programação de Carnaval de rua, desfiles ou concentração de turistas e foliões, entre elas Corumbá, Bonito, Bodoquena, Rio Verde e Paranaíba

Publicado em 08/02/2024 10:46 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Mato Grosso do Sul terá reforço do policiamento, em Campo Grande e mais 18 municípios do interior, durante o período de Carnaval. A partir de sexta-feira (9), mais 1 mil policiais vão atuar nas cidades com programação de Carnaval de rua, desfiles ou concentração de turistas e foliões, entre elas Corumbá, Bonito, Bodoquena, Rio Verde e Paranaíba.

O efetivo extra de policiais é de parte dos setores administrativos – como os operacionais dos batalhões de área, centros de formação e unidades especializadas -, e ainda de outros municípios do interior, que vão atuar na operação “Carnaval Mais Seguro”.

“O reforço é exclusivo para cuidar do Carnaval, o policiamento das cidades não será comprometido, mantendo o que já existe em cada local. A ideia é trabalhar na organização e manutenção da paz, e auxiliar também os batalhões, em todas as questões envolvendo a segurança pública. A quantidade de PM’s empregada este ano é 50% maior em relação ao ano passado, que ainda teve reflexo da pandemia”, explicou o coronel Massilon Silva Neto, diretor de Operações da Polícia Militar.

Em Campo Grande, a PM (Polícia Militar) vai disponibilizar efetivo extra de 600 policiais por dia – 300 por turno de serviço –, durante os cinco dias de festa, que vão atuar no atendimento do Carnaval de rua da Esplanada Ferroviária.

“Nosso efetivo será todo concentrado na Esplanada, a partir do dia 9 (sexta-feira) até o dia 13 (terça-feira), serão cinco noites. O local continua sendo um espaço fechado, e vamos atuar para que ninguém entre na área com possíveis materiais que podem servir como arma, como as garrafas de vidro. Então vai ser feita vistoria, na entrada”, disse o coronel Emerson de Almeida, comandante do Policiamento Metropolitano em Campo Grande.

Além do policiamento para garantir a segurança no local da festa, a PM também vai fiscalizar o cumprimento das leis de trânsito – Lei Seca, direção perigosa e excesso de velocidade –, por meio do batalhão competente com apoio do Detran (Departamento de Trânsito do Estado).

“Recomendamos o uso do transporte público e veículos de aplicativo. A esplanada é em área de difícil acesso, a população não vai conseguir estacionar nas proximidades, porque as vias vão estar interditadas”, afirmou o coronel Almeida.

A estratégia tem como foco a segurança dos participantes, bem como a prevenção aos crimes de furtos, roubos, agressões e ainda a coibir práticas ilegais, como porte de armas, tráfico de drogas e perturbação da tranquilidade pública.

Durante o período de festas na área central, a PM mantém o aparato de policiamento em toda a cidade, nas sete regiões. “Inclusive no Centro, que é muito grande e não se resume só ao entorno da esplanada, teremos policiais disponíveis. Também vamos atuar na Praça do Papa nos dois dias de desfiles das escolas de samba”, disse o comandante do Policiamento Metropolitano.

Outro ponto tem atenção da campanha “Não é não, e ponto final”, que incentiva o respeito ao consentimento e a participação ativa na prevenção de comportamentos inadequados dos foliões. “Se alguém disser ‘não’, aceite e respeite essa decisão”, orienta a campanha de combate ao crime de importunação sexual da PM.

Com apoio de outros órgãos estaduais e municipais, além do Conselho Tutelar, será montado um ponto de atendimento na Esplanada Ferroviária, com diversos serviços disponíveis aos foliões.

“Já tivemos várias reuniões, todos somam forças e cada um dentro da sua função contribui para o Carnaval. Estaremos prontos para os atendimentos no local, inclusive com atenção a questão das crianças que se perdem dos pais, brigas, assédio, e a ingestão de bebida alcoólica pelos adolescentes, como já ocorreu em anos anteriores”, finalizou o coronel Almeida.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *