25/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Em reunião com governadores, Eduardo Riedel defende que reforma seja para o País

Com foco na rota bioceânica, governador discute parcerias econômicas com presidente eleito do Paraguai

Publicado em 06/07/2023 9:03 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em Brasília (DF), o governador Eduardo Riedel defendeu que a Reforma Tributária não coloque os anseios regionais acima dos interesses do País. Na reunião realizada na noite de terça-feira (4), ele também defendeu que o Fundo de Desenvolvimento Regional contemple diversos critérios na busca de equilíbrio e justiça na distribuição da arrecadação.

“Mato Grosso do Sul em um primeiro momento perde, mas é a favor da reforma. Como mitigar isso, como garantir a nossa sustentabilidade? Não adianta qualquer estado ser ilha no País. Nós somos um País por inteiro e que tem que prosperar por inteiro. Então, temos hoje aqui uma reunião extremamente importante para o processo tributário”, afirmou.

O governador sul-mato-grossense explicou que Mato Grosso do Sul perde recursos por ser um estado produtor, com menos de 3 milhões de habitantes, mas que é a favor do modelo porque não é possível pensar apenas no Estado.

No entanto, segundo ele, o Fundo de Desenvolvimento Regional, se bem administrado, poderá corrigir injustiças. “Se você tem uma boa governança e os critérios são equilibrados, justos, você consegue mitigar os problemas que vão aparecer”.

O encontro foi organizada pelo Codesul (Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul) e pelo Cosud (Consórcio de Integração Sul e Sudeste), com governadores, deputados e senadores.

Eduardo Riedel explicou ainda que, de acordo com a proposta, os incentivos fiscais serão preservados até 2033 e que os fundo de aplicação em infraestrutura, como o Fundersul, de Mato Grosso do Sul, devem ser mantidos.

Rota bioceânica

O governador Eduardo Riedel participou na quarta-feira (05) de encontro com o presidente eleito do Paraguai, Santiago Penã. O evento ocorreu em Assunção, na Embaixada do Brasil no Paraguai. Entre os temas centrais estava o trabalho em conjunto para viabilizar a rota bioceânica, assim como parcerias que podem render frutos econômicos para ambas as partes.

Esta agenda bilateral entre Mato Grosso do Sul e o Paraguai vai trazer benefícios e vantagens em setores como infraestrutura, comércio, turismo e cultura. “Estivemos neste encontro com o presidente eleito do Paraguai, tratando dos interesses do Mato Grosso do Sul. Nossa conversa passou por vários assuntos, como rota bioceânica, a hidrovia tão importante para o Paraguai e Brasil, assim como intercambio não só cultural, mas comercial entre os dois países”, afirmou o governador.

Riedel agradeceu a recepção na Embaixada e avaliou o dia como produtivo para Mato Grosso do Sul. “Também discutimos aspectos sanitários do nosso rebanho, da nossa agricultura, assim como agilização das questões aduaneiras, aqui na nossa embaixada do Brasil”, completou.

Também fizeram parte da comitiva do Estado o secretário da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), Jaime Verruck, o presidente da Assembleia, o deputado estadual Gerson Claro e os deputados Lídio Lopes e Paulo Corrêa, além da prefeita da Capital, Adriane Lopes. O convite foi feito pelo embaixador brasileiro no Paraguai, José Antônio Marcondes.

O principal projeto em pauta é o corredor bioceânico, que vai ligar Mato Grosso do Sul aos países do Paraguai, Argentina e Chile, encurtando o caminho para o Oceano Pacífico. As obras para tornar este sonho realidade já estão em andamento, tendo apoio e participação efetiva do Estado.

O Governo do Estado inclusive está investimento de mais de R$ 80 milhões em obras na cidade de Porto Murtinho, onde está se construindo a ponte sobre o Rio Paraguai, na divisa com o município de Carmelo Peralta (Paraguai). Esta obra financiada pelo Itaipu Binacional é ponto chave para viabilizar a rota.

Ela (ponte) segue em várias frentes de trabalho e registra atualmente um avanço de 24,68% em nível geral. Aproximadamente 450 pessoas trabalham no local, realizando diversas atividades nas duas margens do Rio Paraguai, que já começa a transformar todo o seu entorno com o andamento do projeto.

Com valor estimado de US$ 85 milhões a estrutura terá uma extensão de 1.294 metros, dividida em três pontos, dois constituirão os viadutos de acesso de ambos os lados, e um corresponderá à parte estaiada, com 632 metros de comprimento, com vão central de 350 metros.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *