28/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

Crescendo mais que o Brasil, MS cria ambiente propício para receber recursos privados

Comitiva da UE: embaixador indica ‘sintonia de prioridades’ entre Mato Grosso do Sul e União Europeia

Publicado em 26/05/2023 2:06 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Na abertura da segunda edição do ciclo de seminários: gestão de conflitos pelas agências reguladoras, no Bioparque Pantanal, o governador Eduardo Riedel destacou nesta sexta-feira (26) o trabalho de atração de investimentos privados e a importância desse capital para o desenvolvimento do Estado e geração de oportunidades.

“Mato Grosso do Sul tem nos últimos 10 anos tido uma taxa de crescimento acima da média brasileira. Isso se dá por um ambiente econômico que vem se formando, pelo capital privado, que vem adquirindo confiança no Estado, pela capacidade do Estado de investir, dever de casa feito ao longo do tempo para se construir uma Capag A e, além de tudo, poder colocar 12% da sua receita corrente líquida em investimento”, afirmou Eduardo Riedel. A Capag é a Capacidade de Pagamento, medida pelo Tesouro Nacional.

Por conta desse ambiente propício, o Estado tem recebido investimentos bilionários como a fábrica de celulose da Suzano, em implantação em Ribas do Rio Pardo, e do grupo Arauco, em Inocência, e a usina solar do grupo Solatio, em Cassilândia e Paranaíba, anunciada pelo governador Eduardo Riedel neste ano, entre muitos outros empreendimentos. São R$ 58 bilhões de capital privado em aplicação no Estado, destacou o governador.

Riedel também falou dos valores investidos pela gestão estadual, mas disse que o montante é insuficiente para atender as demandas da população, daí a importância dos investimentos privados, parte deles por meio das PPPs (Parcerias Público-Privadas). “Por parte do (Poder) Público, a gente pode se orgulhar de ter saído no Valor Econômico, há 15 dias atrás, que somos o estado que mais investe per capita do Brasil, R$ 1.117 por habitante/ano. É importante isso, mas não faz nem cócegas perto da demanda do Estado. Os R$ 3,5 bilhões que conseguimos colocar em diversas áreas da política pública são muito pouco para que a gente possa dar competitividade exigida pelo mercado de hoje. E é por isso que nós temos que ter um ambiente de atração para várias das áreas onde bons projetos sejam estabelecidos”, declarou .

Reportagem divulgada pelo jornal Valor Econômico revela que Mato Grosso do Sul continua liderando o ranking de investimentos por habitantes, entre os 26 estados e o Distrito Federal. Os investimentos incluem, principalmente, obras de infraestrutura. O levantamento foi realizado, a partir do Relatório Resumido da Execução Orçamentária (RREO), de cada unidade da federação.

O governador fez questão ainda de destacar a importância de PPPs como a do esgotamento, que vai universalizar o saneamento até 2030 em todas as cidades atendidas pela estatal Sanesul.

Já o presidente da Abar (Associação Brasileira de Agências Reguladoras), Vinicius Benevides, ressaltou a importância de ter segurança jurídica para quem for investir. “Para se investir num país precisa mercado, ambiente político estável, e que tenhamos um ambiente regulatório estável para dar segurança jurídica nos contratos”, disse.

E o diretor-presidente da Agems, Carlos Alberto de Assis, explicou a importância do evento e os avanços nos dois anos em que está à frente da Agência de Regulação. “Nós procuramos trazer conhecimento sobre regulação e nunca é demais. Nesses dois anos de agência, procuramos fazer algumas mudanças, a começar pelo nome. Colocamos o DNA de Mato Grosso do Sul na agência, que antigamente era Agepan. Queremos e prometemos ao senhor e ao ex-governador Reinaldo, que queremos uma agência digital, e estamos buscando. Hoje a nossa ouvidoria tem 6 canais de atendimento. Nós regulamos serviços que atendem 2 milhões de pessoas, seja com saneamento, gás natural, o transporte intermunicipal, rodovias, e nós temos que atender isso”.

Também participaram do evento, os secretários Eduardo Rocha (Casa Civil) e Jaime Verruck (Semadesc), a procuradora-geral do Estado, Ana Carolina Ali Garcia, os diretores-presidentes da Sanesul e da MSGÁS, respectivamente, Renato Marcílio e Rui Pires dos Santos, entre outras autoridades.

Embaixador indica ‘sintonia de prioridades’ entre MS e União Europeia

Política de carbono neutro, zelo ambiental, promoção da economia sustentável e criação de um ambiente de negócios propício para o desembarque de empreendimentos de investimentos que gerem riqueza e bem estar social. Essas são algumas das diretrizes do Governo de Mato Grosso do Sul elogiadas e reconhecidas como positivas pelo embaixador da União Europeia, Ignacio Ybáñez, chefe da comitiva de representantes da Europa que visita o Estado.

“Existe uma sintonia de prioridades entre União Europeia e o Governo de Mato Grosso do Sul. Existe essa prioridade com a sustentabilidade, algo que todos devemos ter no mundo inteiro. Mato Grosso do Sul é um estado com uma potencialidade econômica muito grande”, afirma Ybáñez durante entrevista ao programa Bom Dia MS, nesta sexta-feira (26).

Ontem, o embaixador ao lado de toda sua comitiva foi recepcionada pelo governador Eduardo Riedel, a primeira-dama Mônica Riedel e o vice-governador José Carlos Barbosa no receptivo do Parque do Prosa, em Campo Grande, onde conversaram sobre as potencialidades do Estado e outros temas. De lá, eles partiram para o Bioparque Pantanal.

Além de conhecer as belezas de um dos principais pontos turísticos do mundo, reconhecido pela revista Time, dos Estados Unidos, os embaixadores e demais representantes da Europa puderam conhecer vários aspectos de Mato Grosso do Sul e o trabalho feito pelo Governo do Estado em palestra ministrada pelo governador Eduardo Riedel. Dali, a comitiva seguiu para agendas culturais e de negócios, visitando a Fiems (Federeração das Indústrias).

“[O carbono neutro] é um elemento importante para nós e vimos que há um grande esforço para que esse objetivo seja alcance em Mato Grosso do Sul. É difícil chegar nesse objetivo, mas há uma vontade do Governo bem alinhada ao setor privado. É importante que o conjunto da sociedade acompanhe esses esforços”, frisa o embaixador.

Cooperação UE-MS

A fala de Ybáñez foi seguiu apontando ainda a possibilidade de que haja uma cooperação entre a União Europeia e o Estado de Mato Grosso do Sul. “Se concordamos nas prioridades, lógico que podemos reforçar essa cooperação. Pensamos que o Mato Grosso od Sul está muito bem no caminho, mostrando onde todos temos que ir juntos”.

Outro ponto tratado na entrevista pelo diplomata é a riqueza ambiental e turística do Estado, que tem o Pantanal como maior foco. “O Brasil precisa ser mais conhecido nesse ponto de vista [como um grande player turístico]. Mato Grosso do Sul em especial tem esse potencial bem claro”, diz o embaixador, sugerindo que os números do setor devem crescer mais a partir de investimentos infraestrutura e logística, além da segurança.

“Os esforços em sustentabilidade certamente são a melhor forma para ter mais turismo”, conclui o representante da União Europeia no Brasil. Além dele, a comitiva é formada por embaixadores ou cônsules, radicados no Brasil, da Bélgica, Portugal, Dinamarca, Suécia, Polônia, República Tcheca, Croácia, Lituânia, Chipre e Malta.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *