21/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Com várias frentes de trabalho, obra da ponte da Rota Bioceânica avança no Brasil e Paraguai

‘Estrada do 21’ avança com novas pontes, asfalto e drenagem já trazendo benefícios à população

Publicado em 05/07/2023 9:53 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A obra da ponte da Rota Bioceânica que ligará as cidades de Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta, no Paraguai, é realizada em várias frentes e registra atualmente avanço de 24,68% em nível geral.

Aproximadamente 450 pessoas trabalham no local, realizando diversas atividades nas duas margens do Rio Paraguai, que já começa a transformar todo o seu entorno com o andamento do projeto.

Uma equipe técnica liderada pelo vice-ministro de Obras do MOPC (Ministério de Obras Públicas e Comunicações), engenheiro Rubén Andino, juntamente com o diretor de Estradas, engenheiro Víctor Olmedo, se reuniram no fim de junho com os responsáveis para verificar a obra.

Boletim do Consórcio Pybra, divulgado ontem (4) aponta que do lado paraguaio 100% das estacas já foram firmadas, além de 96% dos blocos, 56% dos pilares e 40% da travessa. Já do lado brasileiro 92% das estacas já foram colocadas, 39% dos blocos e 6% dos pilares.

“A obra está avançando com maior percentual do lado paraguaio que começou antes, e também em Porto Murtinho. Com isso, a nossa meta é inaugurar a ponte no primeiro semestre de 2025”, destacou o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jaime Verruck.

A nova ponte, que tem financiamento da Itaipu Binacional, Margem Direita, com valor estimado de US$ 85 milhões terá uma extensão de 1.294 metros, dividida em três pontos, dois constituirão os viadutos de acesso de ambos os lados, e um corresponderá à parte estaiada, com 632 metros de comprimento, com vão central de 350 metros.

As tarefas estão a cargo do Consórcio PYBRA (Tecnoedil SA, Paulitec e Construtora Cidade), sendo o Consórcio PROINTEC o fiscalizador. A gestão da obra está a cargo da UEP-DCyP do Ministério das Obras Públicas e Comunicações (MOPC).

A ponte é fundamental para a Rota Bioceânica, corredor rodoviário que vai promover a integração geopolítica do Brasil, reduzir custos logísticos, tempo de viagem, além de promover novos investimentos em infraestrutura para o Estado, gerar novos empregos, oportunidades no setor de turismo, aumentar a importação e exportação, entre outros pontos.

Acesso à ponte

O secretário lembrou que o governador Eduardo Riedel tem mantido um diálogo permanente com o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) e o Ministério de Infraestrutura pela necessidade que o Estado tem de lançamento imediato da obra de acesso a ponte. “Como o cronograma da ponte está avançando, o governo brasileiro tem que acelerar o processo de licitação do acesso, de forma que isso culmine, e possamos em 2025 acionar a Rota Bioceância tanto com a estrutura alfandegária como o acesso a ponte”, concluiu Verruck.

Obra da ‘Estrada do 21’ avança

Mais da metade do serviço já está pronto. A obra de pavimentação da “Estrado do 21” que segue em quatro frentes de trabalho avança a todo vapor, com boa parte do percurso já pavimentado, novas pontes, drenagem e até túneis para passagem de animais. O resultado já é visto e comemorado pela população que mora, trabalha e percorre este trecho de 100 km, que vai ligar Anastácio a Bonito.

A obra na rodovia MS-345 vai reduzir em até 40 km a distância de Campo Grande a Bonito. Ela começa no “Posto 21” em Anastácio e segue rumo a capital do ecoturismo, passando no meio do caminho pelo distrito de Águas do Miranda, um polo de pescaria esportiva do Estado. Ela é dividida em quatro lotes.

No primeiro (lote), que sai do trevo da BR-419, em Anastácio, mais de 63% das atividades já foram concluídas e obra está bem adiantada, com boa parte dos 28,65 km já pavimentados e as máquinas seguem na pista colocando a capa de asfalto. Isto já reflete no dia a dia dos moradores e por quem trafega pelo caminho.

O chacreiro Cícero Alves Machado mora com a esposa e os dois filhos há 32 anos neste trecho. Com asfalto pronto onde reside, conta que a realidade já mudou. “Aqui a estrada já está ótima, ajuda bastante, em época de chuva ficávamos parados, não conseguia seguir pela estrada, não passava nada. Os carros atolavam direto. Aqui só falta pouco para terminar”.

Mesma avaliação do caminhoneiro Antônio Carlos Damásio, que já teve que percorrer por muitas vezes este caminho. “A obra está ficando muito boa, vai facilitar muito a ida a Bonito por este caminho. Antes a estrada era muito ruim, fora a poeira que era pesada. Estou há 30 anos aqui na região puxando boi”, destacou.

Comércio e Turismo

No segundo lote da obra que chega ao Distrito de Águas do Miranda a pavimentação está quase pronta, o TSD (Tratamento superficial duplo) já foi concluído, faltando a capa de asfalto final na pista. Lá são mais 23 km, e passa por este importante polo de pesca do Estado. Local que atrai turistas e traz movimento, emprego e renda aos comerciantes.

“Esta obra é de suma importância para gente, pois vai melhorar o movimento dos turistas e ajudar o comércio. Nós já sentimos a diferença com mais gente vindo de Aquidauana, Anastácio e toda região pela estrada. Além de valorizar muito nossos imóveis”, relatou Silvia Aparecida, que tem um mercado há 12 anos no distrito.

Gilberto Bussler, morador de Águas do Miranda, destaca a importância da obra para quem convive com a estrada há muito tempo. “Ela vai nos ajudar muito, era muito difícil seguir caminho com chuva, pois o percurso ficava péssimo. Várias vezes fiquei com carro estragado e nunca seguia para Bonito por aqui. Já percebi a vinda de muita gente de Campo Grande e do Paraná por aqui”.

A engenheira responsável por este trecho, Lorena Rafaeli Amorim, destacou que o trabalho está bem adiantado. “Já estamos com nosso TSD todo pronto e em julho iniciamos a capa de asfalto. Todas as nossas obras de arte estão concluídas e seguimos com o trabalho de drenagem”.

Rumo a Bonito

Os dois últimos lotes da “Estrada do 21” chegam a Bonito, a principal cidade turística do Estado, que se tornou referência nacional e internacional. Neste caminho estão sendo construídas 14 pontos, tuneis para passagem de animais silvestres e estacionamento para contemplação da natureza.

O terceiro lote com 22,74 km já tem mais de 50% das atividades prontas. A drenagem está na reta final, terraplanagem implantada e avanço nos bueiros para passagens dos animais, dentro do programa Estrada Viva. Neste trecho seis pontes estão sendo implantadas. A conclusão da pavimentação será a última etapa.

Ao longo do caminho a reportagem pode conferir a passagem de ônibus escolares, que ainda precisam conviver com muita poeira, mas que terão nova realidade nos próximos meses, com asfalto de qualidade. Junto deste amontoado de máquinas espalhadas pelo trecho, encontra-se araras vermelhas sobrevoando as árvores e exalando a beleza do local.

Já no quarto lote que chega a cidade de Bonito, os trabalhos também seguem em pleno vapor com 75% das atividades prontas, com cinco pontes concluídas, terraplanagem avançada e tuneis dos animais instalados. Está sendo implantado ainda um local de estacionamento de veículos para que as pessoas possam descansar e contemplar a natureza.

“Após grande quantidade de chuva do início do ano, estamos aproveitando a estiagem para dar uma acelerada e terminar o quanto antes a terraplanagem, para depois iniciar a parte da linha de produção com a pavimentação. A questão do projeto da Estrada Viva já concluímos ele todo, trazendo grande benefício para passagem de fauna”, explicou Guilherme Ramalho, engenheiro responsável por estes dois últimos lotes.

A conclusão da Estrada do 21 no segundo semestre deste ano vai “encurtar caminhos”, potencializar a economia e turismo da região, além de dar mais comodidade e segurança para quem trafega no trecho. Os benefícios econômicos e sociais são imensuráveis. Retrato de uma gestão próspera, verde e inclusiva.

“Essa é uma obra emblemática, que atende a comunidade local, fomenta o turismo e encurta o caminho até Campo Grande. Esse é nosso objetivo, atender as pessoas com obras de qualidade que melhoram a infraestrutura do Estado e dão resultados para todos”, destaca o secretário Hélio Peluffo, da Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística).


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *