13/06/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Com impacto zero ao meio ambiente, a Usina Fotovoltaica da Cassems trouxe mais de R$8 mi de economia

Previsão é que em 20 anos, a construção gere economia de mais de R$ 220 milhões

Publicado em 07/06/2024 11:05 - Semana On

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em um cenário global cada vez mais consciente da urgência em enfrentar as mudanças climáticas, a procura por fontes de energia renováveis e sustentáveis torna-se essencial. A energia solar, em particular, desempenha um papel crucial na construção de um futuro mais sustentável ao preservar recursos naturais e reduzir as emissões de carbono.

Avanços tecnológicos têm aumentado a eficiência da energia solar, melhorando a conversão e o desenvolvimento de sistemas de armazenamento de energia, o que, por sua vez, traz benefícios ambientais e econômicos. Essa tendência de crescente eficiência e adoção da energia solar promete continuar impulsionando sua utilização como uma fonte de energia limpa e sustentável para o futuro.

A usina fotovoltaica da Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems) representa um investimento significativo para a economia de custos e desempenha um papel crucial na redução de gastos com energia elétrica.

Em 2023, a usina conseguiu gerar mais de R$ 3,4 milhões em economia, o que equivale a 41,71% do custo total gerado pelo consumo das unidades beneficiadas pelo empreendimento. Além de ser uma importante ação de sustentabilidade ambiental, a usina demonstra o potencial das energias renováveis em ajudar na redução de custos operacionais e a tornar mais sustentável.

Com uma área significativa de placas e módulos solares, a usina conseguiu produzir 10.000.000 kWh de energia limpa. Com uma durabilidade mínima de 25 anos, as placas solares garantirão uma economia prevista de R$ 227 milhões ao final desse período. Todas as unidades hospitalares da Caixa dos Servidores, exceto a de Três Lagoas, serão abastecidas por energia solar fotovoltaica.

O presidente da Cassems, Ricardo Ayache, destaca a importância da usina fotovoltaica: “Com seus 8 hectares de placas solares, a usina gerou uma economia de R$ 8 milhões apenas nos últimos dois anos. Com a ampliação dos hospitais de Dourados e Ponta Porã, a demanda por energia elétrica aumentará, exigindo a expansão do número de placas solares e a construção de novas usinas fotovoltaicas”.

Além de proporcionar significativa economia financeira, a Usina tem impacto ambiental zero, consolidando-se como um modelo de sustentabilidade e eficiência energética. A usina fotovoltaica da Cassems é a maior de todo o Centro-Oeste. Para a sua construção, não houve desmatamento de mata nativa e todas as árvores frutíferas foram preservadas. Além de contribuir para a preservação do meio ambiente, o investimento gerou renda e emprego para 40 famílias.

Para a Superintendente Administrativo Financeiro da Cassems, Sandra Ortega, “À medida que continuamos a avançar em direção a um futuro mais sustentável, a energia solar certamente desempenhará um papel central nesse processo. Prova disto, são empresas cada vez mais reconhecendo a importância de adotar práticas sustentáveis não apenas como uma responsabilidade social, mas também como uma estratégia de negócios inteligente.”

Investimento

Para a construção da obra, a Caixa dos Servidores financiou 19 milhões de reais via Fundo Constitucional de Financiamento do Centro Oeste, sendo 70% do valor da construção e desembolsou os outros 30%, em 8 milhões de reais. Com o investimento, os custos da obra serão pagos em seis anos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *