17/04/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Com ciência, tecnologia e inovação, Bioparque Pantanal atua na educação e conservação ambiental em MS

Conscientização ambiental em escolas faz plantio de mudas e aborda até cuidados com rede elétrica

Publicado em 27/03/2024 9:45 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com atuação científica, além da conservação e educação ambiental, o Bioparque Pantanal opera há dois anos em Campo Grande, período no qual já abrigou mais de 42 mil animais de 382 espécies e ainda recebeu 700 mil visitantes de 129 países. O trabalho desenvolvido no local consolida o Bioparque como destino turístico de ciência e contemplação, e principalmente como espaço de conhecimento e experiência.

Como parte das comemorações dos dois anos de funcionamento do maior aquário de água doce do mundo, é realizada a II Jornada de Pesquisas e Tecnologias – a partir de hoje (26) e até quinta-feira (28) – com o tema ‘Bioparque Pantanal: Além as águas’.

O governador Eduardo Riedel participou da solenidade de abertura e destacou a atuação do Bioparque na educação ambiental de crianças e adolescentes de Mato Grosso do Sul.

“A educação é um ganho inestimável para o Estado, é um orgulho. Cumprir este papel de mostrar para o mundo o que é o Pantanal, desenvolver pesquisa, conhecimento, novas informações e uma nova consciência dos sul-mato-grossenses em relação ao bioma. Todas as escolas estão passando aqui, a formação desta criança traz uma consciência diferenciada para o futuro dela. Então teremos sul-mato-grossenses na sua totalidade, conhecendo o que é o Pantanal. É um futuro diferente, é isso que significa o Bioparque”, afirma Riedel.

Atualmente o Bioparque conta com 382 espécies de água doce, com reproduções que resultaram em 2 mil nascimentos de 62 espécies distintas. São 15 registros inéditos no mundo e 12 registros inéditos no Brasil – três delas ameaçadas de extinção.

“Ter um equipamento como este no nosso Estado deu outra dimensão para o Pantanal, inclusão, turismo, pesquisa das universidades, toda a base científica e o que o equipamento proporciona em termos de conhecimento é grandioso. O desafio maior era operar e a equipe abraçou como se fosse um filhote e fez desse equipamento o que é. A gente só recebe elogios na forma de atender, serviço, inclusão, cuidado e carinho com os peixes e as pessoas”, completa o governador.

A jornada, que teve início hoje, é um evento técnico-científico que tem como objetivo integrar diferentes profissionais e instituições parceiras no meio científico, por meio do intercâmbio de conhecimento obtido com o desenvolvimento da pesquisa científica, conservação, inclusão, inovação, educação ambiental, turismo e a valorização da cultura sul-mato-grossense, pantaneira e brasileira.

“Vai muito além da contemplação é um espaço de experiência e de conhecimento para todos, educativo, científico, tecnológico, inclusivo, inovador e muito humanizado. Temos mais de 40 projetos de pesquisa, é um verdadeiro laboratório vivo onde tudo vira projeto de pesquisa. Nossos animais não são objetos, são meio para algo a mais nas reproduções, conservação, educação ambiental, acolhimento das pessoas que possuem deficiência. Todo o trabalho vai além do espaço bonito e de contemplação”, afirma a diretora-geral do Bioparque Pantanal, Maria Fernanda Balestieri.

A abertura II Jornada de Pesquisas e Tecnologias, realizado no Bioparque, reuniu ainda os secretários Rodrigo Perez (Segov), Viviane Luiza (SEC) e Eduardo Rocha (Casa Civil), além de secretários adjuntos, representante de instituições de ensino, pesquisa e conservação ambiental.

A visita ao Bioparque Pantanal é gratuita e o agendamento é realizado pelo site bioparquepantanal.ms.gov.br. O empreendimento é aberto ao público de terça a sábado, das 8h30 às 12h (entrada até 11h) e das 13h30 às 17h30 (entrada até 16h30). Nos feriados, o local funciona em horário especial, das 8h30 às 14h30 (entrada até às 13h30).

Conscientização ambiental em escolas de MS

A escola como ponto de disseminação de boas práticas, reflexões e aprendizado sistêmico. Há algum tempo alunos de escolas estaduais de Mato Grosso do Sul têm se deparado com ações envolvendo temas da atualidade que reforçam a cidadania nas mais diferentes frentes. Uma delas é a conscientização ambiental.

Para reforçar essa preocupação, SED (Secretaria de Educação) e Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), por meio do programa Escola Segura, implementaram em parceria com a Energisa MS o projeto Educação Ambiental nas Escolas na REE (Rede Estadual de Ensino). O pontapé inicial da ação ocorreu ontem (26).

A atividade consiste em plantar mudas de árvores de espécies de vegetação nativa dentro da própria escola para serem cuidadas pelos alunos – a iniciativa vai ao encontro de um dos principais pilares da gestão do governador Eduardo Riedel: um Mato Grosso do Sul inclusivo, próspero, verde e digital.

Os estudantes farão o plantio das mudas e acompanharão o crescimento das espécies com relatórios trimestrais que terão acompanhamento da área de Gestão Ambiental da Energisa. Aliada à prática, o objetivo é levar também palestras de conscientização ambiental.

Uma das palestras vai tratar da relação entre arborização e rede elétrica. Se por um lado a arborização urbana traz inúmeros benefícios, como a melhoria da qualidade do ar, redução da poluição sonora, sombreamento e embelezamento das áreas urbanas, por outro árvores mal cuidadas ou plantadas em locais inadequados podem representar riscos para a rede elétrica.

“Vamos explicar desde quais as espécies indicadas para serem plantadas embaixo da rede elétrica, os riscos que espécies inadequadas podem causar, como curtos-circuitos e até mesmo acidentes mais graves”, diz a engenheira ambiental da Energisa MS, Giovana Marques.

Ela ainda destaca que a palestra abordará a importância da realização de podas preventivas a fim de evitar interrupções no fornecimento de eletricidade. “Ressaltaremos, também, os cuidados dos alunos e comunidade com a rede elétrica ao empinar pipa, subir em árvores e o que prestar atenção nos dias de chuva”, finaliza.

“Este projeto busca estimular os estudantes a compreender, valorizar e preservar o meio ambiente, na busca por soluções sustentáveis frente aos desafios ambientais, que são inerentes, inclusive, ao setor elétrico”, explica a supervisora de Gestão Estratégica e de Qualidade da Energisa MS, Fabiana Monfilier.

Cronograma

27 de março – 14h em Dourados
E.E. Vereador Moacir Djalma Barros
Residencial Harrisom de Figueiredo II

4 de abril – 8h em Corumbá
E.E. Nathércia Pompeo dos Santos
Rua Ceará, 2867 – Nova Corumbá


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *