21/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

Caminhão de cargas que ‘inaugura’ Rota Bioceânica leva carne de MS até o norte do Chile

A ação que inaugura o transporte pelo Corredor Bioceânico, que vai ligar o Brasil aos portos do norte do Chile, foi feita pelo frigorífico da Friboi, empresa da JBS

Publicado em 23/11/2023 11:01 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O primeiro embarque oficial de mercadorias que serão transportadas pela Rota Bioceânica aconteceu hoje (22) em Campo Grande. A ação inédita e que inaugura o transporte pelo Corredor Bioceânico, que vai ligar o Brasil aos portos do norte do Chile, foi feita pelo frigorífico da Friboi, empresa da JBS. O grupo está enviando 12 toneladas de carne congelada e desossada bovina em um caminhão refrigerado.

O embarque aconteceu na manhã de hoje na unidade da fábrica na saída para Sidrolândia e foi acompanhado pelo assessor de logística da Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação) Lúcio Lagemann, pelo gerente da JBS Campo Grande, Aloisio Mastelaro, e funcionários.

“Trata-se de um momento histórico com o primeiro embarque oficial de produtos pela Rota Bioceânica. Estamos inaugurando hoje, oficialmente, o transporte de mercadorias pela Rota, enviando uma das principais comoditties da pauta de exportações brasileira e sul-mato-grossense e com o selo de qualidade que é a carne bovina produzida em Mato Grosso do Sul”, comemorou o secretário Jaime Verruck, da Semadesc.

A Friboi foi escolhida para representar inúmeras companhias brasileiras que serão beneficiadas pelo novo trajeto que ligará o Brasil ao Chile, passando por Paraguai e Argentina. O transporte acontece durante a terceira edição da expedição organizada pelo Setlog-MS (Sindicato das Empresas de Transporte) para promover a Rota.

Na ocasião, serão verificadas as condições para a imediata utilização da via e os avanços na área de Aduanas e Autoridades Intervenientes de comércio exterior.

A carreta com carne bovina oriunda de Mato Grosso do Sul a fará travessia de balsa pelo Rio Paraguai e passará por várias cidades argentinas até completar seu destino na cidade de Iquique, no norte do Chile.

“Essa nova opção de rota pode diminuir o tempo de entrega aos nossos clientes chilenos, por exemplo, em até 5 dias, agilizando o fluxo no transporte dos produtos”, diz Bruno Correa, da equipe de exportação da Friboi. A previsão de chegada a cidade de Iquique é no dia 29 de novembro.

Para o secretário estadual Jaime Verruck trata-se de um momento histórico com o primeiro embarque oficial de produtos pela Rota. “Estamos inaugurando hoje o transporte pela Rota, enviando uma das principais commodities da pauta de exportações brasileira, e com o selo de qualidade que é a carne bovina de Mato Grosso do Sul”, salienta.

Expedição

Na sexta-feira (24), a III Expedição da Rota Bioceânica ou RILA (Rota de Integração Latino-Americana) sairá de Campo Grande com mais de 100 participantes, entre eles o titular da Semadesc, Jaime Verruck, autoridades, empresários e parceiros do megaprojeto.

A saída do comboio composto por 35 veículos está prevista para ocorrer em frente ao Monumento Rila. A meta da comitiva é atestar a viabilidade econômica da Rota Bioceânica indicando aos participantes todo o processo aduaneiro, alfandegário e de desembaraço que passam os produtos exportados.

Rota

A Rota Bioceânica criará importante conexão viária entre o Centro-Oeste brasileiro e o oceano Pacífico, tendo início em Mato Grosso do Sul e desembocando em Porto Murtinho. Dali, o trojeto cruza o território paraguaio por Carmelo Peralta, Mariscal Estigarribia e Pozo Hondo.

Depois, a rota atravessa o território argentino passando pelas cidades de Misión La Paz, Tartagal, Jujuy e Salta, ingressando no Chile pelo Passo de Jama, até alcançar os portos de Antofagasta, Mejillones e Iquique.

A nova rota percorrerá os quatro países por um traçado de 3.320 quilômetros, encurtando a distância entre o Brasil e a Ásia em 8 mil km (o equivalente a 15 dias). Atualmente, as rotas marítimas passam pelo sul e leste africano e sudeste asiático, pelo Canal de Panamá e pelo extremo sul da América do Sul, na chamada Terra do Fogo.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *