20/06/2024 - Edição 540

Legislativo

Professor André Luis oficializa pedido de criação de escola indígena na Secretaria de Educação

O vereador ressaltou a importância da participação dos indígenas durante os estudos de viabilidade e processo de construção da escola

Publicado em 29/05/2024 11:49 - Semana On

Divulgação Câmara CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O vereador Professor André Luis, vice-presidente da Comissão Permanente das Causas Indígenas esteve na Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande (Semed) para solicitar ao titular da pasta, Lucas Bitencourt, a criação da primeira escola municipal indígena de Campo Grande.

O encontro contou com a presença do presidente da Comissão, vereador Coronel Alírio Villasanti e dos líderes indígenas cacique Josivaldo Delfino, da Aldeia Urbana Inamaty Kaxé, localizada no bairro Santa Mônica, e do professor Kléber Gomes, um dos idealizadores da proposta.

Formalizar o pedido junto à Semed é um importante passo para a construção desta instituição, que há muito é solicitada pelos indígenas de todas as etnias que vivem em Campo Grande.

Este encaminhamento é fruto da conversa desenvolvida na reunião da Comissão das Causas Indígenas realizada no dia 10 de maio, oportunidade em que a carta de solicitação e abaixo-assinado foram entregues aos membros do grupo para serem repassadas à Semed.

Neste mesmo dia, as lideranças indígenas presentes ressaltaram a importância de existir uma instituição de ensino pensada para as crianças e adolescentes dos povos originários, já que neste espaço seria possível desenvolver um ambiente e metodologia que atenda as especificidades culturais e linguísticas das etnias.

“Nós temos uma educação indígena, que é diferente da não-indígena, mas ainda não temos escola e precisamos de uma”, disse o líder indígena Nério Kadoshi, que esteve presente no encontro do dia 10.

André Luis, por sua vez, ressaltou a importância da participação dos indígenas durante os estudos de viabilidade e processo de construção da escola, já que esta instituição precisa atender as necessidades apresentadas por eles.

“Queremos que essa escola tenha a visão dos indígenas porque, nós, não-indígenas temos uma construção educacional diferente. Por exemplo, vamos precisar de professores indígenas para fazer o modelo de educação desta escola, que é diferente para eles”, afirmou.

Ainda de acordo com o vereador, na reunião desta quarta-feira, ao receber a carta de solicitação que irá acompanhar o estudo de viabilidade para implantação da instituição, Bitencourt, secretário de Educação, afirmou que a Semed já estava com planos de construir a instituição para os indígenas.

Atualmente, Campo Grande tem quase 19 mil indivíduos dos povos originários, das etnias Terena, Kadiwéu, Kaiowá e Guató, que vivem em contexto urbano. Contudo, ainda não existe qualquer escola que possa atender as especificidades dessas culturas e modos de vida.

“A escola indígena, além da parte educacional, ela tem a função cultural de manter a identidade dos povos indígenas, basicamente através dos seus costumes e da sua língua, então, é muito importante que a gente consiga a instalação desta escola aqui em Campo Grande”, concluiu o vereador.

O local de construção ainda está definido, mas, por ser a primeira instituição de ensino deste tipo, o objetivo é atender todos os povos presentes na Capital para que, posteriormente, outras escolas possam ser construídas.

Ainda é necessário elaborar um estudo técnico para entender quais adaptações serão necessárias para atender aos pedidos feitos pelas lideranças.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *