20/06/2024 - Edição 540

Legislativo

Mato Grosso do Sul poderá ter data para celebrar a cultura reggae

Deputada Gleice Jane discursa durante sessão plenária na ALEMS; parlamentar é a autora do projeto

Publicado em 29/05/2024 11:41 - Semana On

Divulgação ALEMS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Primeiro de julho pode se tornar o dia de celebração da cultura reggae em Mato Grosso do Sul. A data, que homenageia o músico Lincoln Gouveia e que coincide com o Dia Internacional do Reggae, consta no Projeto de Lei 118/2024, protocolado pela deputada Gleice Jane (PT) na terça-feira (28) na Assembleia Legislativa. Ex-vocalista da banda Canaroots e ícone do reggae, Lincoln Gouveia faleceu em junho de 2021, em Campo Grande.

De acordo com a proposta, o “Dia Estadual do Reggae será dedicado à promoção, valorização e divulgação da cultura reggae no Estado de Mato Grosso do Sul, abrangendo atividades culturais, educacionais e sociais que reforcem os valores de paz, união e consciência social”. Na data, poderão ser realizados eventos, festivais, oficinas, palestras e outras atividades de valorização do reggae.

A data escolhida é uma homenagem a Lincoln Gouveia, nascido em 1º de julho de 1983 e falecido em 17 de junho de 2021. O artista, conforme destaca a deputada Gleice Jane na justificativa da proposta, inspirou “gerações com sua música e mensagem de paz, união e consciência social”. A data também coincide com o Dia Internacional do Reggae, o que, de acordo com a parlamentar, amplia o alcance e a relevância da iniciativa para a comunidade reggae global.

“O reggae, com suas raízes na Jamaica, tornou-se um gênero musical universal, enraizado na cultura brasileira e sul-mato-grossense, influenciando inúmeros artistas e promovendo valores de justiça social e espiritualidade. A criação do Dia Estadual do Reggae visa reconhecer e valorizar a contribuição significativa desse gênero musical para a identidade cultural e social de nossa comunidade”, argumentou a deputada.

O projeto deve ser lido na sessão plenária desta quarta-feira (29) e, passado o período de pauta, será analisado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Considerado constitucional, seguirá tramitando na Casa de Leis.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *