15/06/2024 - Edição 540

Legislativo

Lixo, mau-cheiro, falta de manutenção e estrutura precária

Prof. André Luis verifica situação de abandono do córrego Anhanduí, na Avenida Ernesto Geisel

Publicado em 22/05/2024 10:47 - Semana On

Divulgação Câmara CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

As fiscalizações realizadas por toda Campo Grande pelo vereador Professor André Luis chegaram ao Córrego Anhanduí, na Avenida Ernesto Geisel, local em que os problemas perduram há anos sem qualquer solução definitiva.

O vereador, ao andar pela extensão do córrego, verificou as condições insalubres em que o lugar se encontra, com acúmulo de lixo, mau-cheiro, falta de manutenção e estrutura precária.

Durante a fiscalização, também foram encontrados barracos improvisados construídos na encosta do córrego, que servem de abrigo para pessoas em situação de rua. No dia, não foi possível verificar se ainda havia gente nesses locais.

As problemáticas envolvendo o córrego são amplamente divulgadas pela imprensa local, contudo, até o momento, o Executivo não encontrou uma medida efetiva para solucionar os problemas, que vão desde o acúmulo de lixo até a falta de políticas públicas para preservar o curso de água.

Apesar de serem avistados pássaros, cágados e outros animais, bem como ainda ter vegetação, em alguns pontos a beira do córrego se tornou um lixão à céu aberto, onde a própria população despeja entulhos e todo tipo de descarte.

A estrutura também é precária, com histórico de queda dos paredões de contenção em alguns pontos do córrego. Além disso, em outras partes, os gradis que separam o asfalto do córrego estão quebrados ou não existem, colocando quem passa por lá em perigo pela falta de segurança.

Esta não é a primeira fiscalização que o vereador realiza no córrego. Em oportunidade anterior, quando os mesmos problemas foram verificados, o Executivo foi oficiado para que tomasse providências a fim de solucionar a situação, mas, até então, as condições do local continuam as mesmas.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *