13/04/2024 - Edição 540

Legislativo

Carlão recebe Associação dos Ostomizados

Presidente da Câmara faz compromisso de adaptação de banheiros na Câmara e Lei para adaptações em banheiros públicos

Publicado em 23/03/2023 7:11 - Semana On

Divulgação Câmara CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, recebeu em seu gabinete na manhã de terça-feira (21), a visita da vice-presidente da Associação dos Ostomizados de Mato Grosso do Sul (AOMS), Lana Flores, a presidente do Conselho Municipal de Apoio aos Direitos da Pessoa com Deficiência (COMPD), Andrea de Arruda, acompanhadas de membras do Conselho e da Associação. Carlão se comprometeu em realizar a implantação de banheiros adaptados para pessoas ostomizadas no prédio da Câmara Municipal.

“Aproveito para entregar a vocês uma minuta do Projeto de Lei de minha autoria, que acrescenta dispositivo sobre banheiros públicos adaptados para ostomizados, em Campo Grande. Também reforço o compromisso de garantir uma agenda com a prefeita Adriane Lopes, para conseguirmos viabilizar essas adaptações”, disse Carlão, revelando que atualmente um parente bem próximo passará por uma cirurgia para ser ostomizado.

A vice-presidente da AOMS, Lana Flores, que é ostomizada há 24 anos, fez um relato emocionado das dificuldades enfrentadas pelos ostomizados ao não terem acesso a esses banheiros adaptados e o quanto a falta destas simples medidas podem impactar socialmente na vida dos ostomizados.

“É uma questão de dignidade. De inclusão e atenção social a esta parcela da sociedade que hoje já chega a mais de 1.450 pessoas em Campo Grande, adultos, adolescentes e crianças. A ostomia é uma intervenção cirúrgica que permite criar uma comunicação entre o órgão interno (intestino ou ureteres) e o exterior, com a finalidade de eliminar os dejetos do organismo. O Ostomizado utiliza um dispositivo, uma bolsa coletora para eliminar as fezes. Os banheiros para deficientes que existem na maioria dos prédios públicos não servem para as nossas necessidades. É preciso fazer adaptações, como a ducha higiênica e um vaso sanitário mais alto”, explicou, entregando um modelo do projeto dos banheiros adaptados ao presidente Carlão.

A membra do COMPD, Ângela Maria Graciete, também ostomizada há vários anos, falou da dificuldade de adaptação das pessoas com ostomia.

“Muitos de nós hesitamos em sair de casa, em ter uma vida social normal, ativa, porque nos preocupamos em como esvaziar a bolsa coletora. É muito estressante e traumatizante usar um banheiro não adaptado porque podemos ter vazamentos de dejetos e não conseguir fazer nossa higiene de forma apropriada. Para nós, o ideal seria que em todos os banheiros públicos pudéssemos ter essa adaptação”, afirmou.

O presidente concluiu a reunião destacando que o Poder Legislativo Municipal vai “fazer o dever de casa e dar o exemplo”. Carlão afirmou que já pediu ao diretor administrativo da Casa para fazer as adaptações nos banheiros da Câmara.

“Vamos dar o exemplo, fazendo o dever de casa. Vamos adequar os banheiros do prédio da Câmara e vamos buscar junto à prefeita Adriane Lopes essa adaptação nos banheiros em prédios públicos da cidade. É uma questão de acessibilidade e inclusão”, concluiu.

O diretor presidente da Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (Funsat), Paulo da Silva, e assessores, acompanharam a reunião.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *