15/06/2024 - Edição 540

Legislativo

Câmara reforça doações para as vítimas das enchentes no RS com novo ponto de coleta

Em 15 dias, voluntários de MS arrecadam mais de mil toneladas de doações para ajudar vítimas

Publicado em 21/05/2024 1:31 - Semana On

Divulgação Câmara CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Câmara Municipal de Campo Grande é um dos novos pontos de coleta de doações para as vítimas das enchentes no estado do Rio Grande do Sul.

De segunda a sexta-feira, quem puder colaborar com água potável, alimentos não perecíveis, colchonetes, fraldas descartáveis, vestuário, agasalho, roupas de cama e banho em bom estado, poderá entregar sua contribuição na sala das lideranças comunitárias, que fica no prédio em anexo à Casa de Leis.

O presidente da Câmara, vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão, destacou a importância da união de forças para amenizar o sofrimento da população e salvar vidas.

“A Câmara demonstra seu compromisso com o bem-estar de todos. A situação é de extrema emergência e precisamos estender nossas mãos para quem precisa. Toda ajuda é bem-vinda para aqueles que precisam”, disse Carlão.

Em solidariedade às vítimas, a Câmara também iluminou seu prédio com as cores da bandeira do Rio Grande do Sul e também realizou diversas doações nas últimas semanas.

As enchentes que atingem o Estado desde o final de abril são o maior desastre climático da história do estado.

Até o momento, 157 pessoas morreram, 85 estão desaparecidas e mais de 657,8 mil fora de casa. No total, são 2,3 milhões de atingidos de alguma forma pelo desastre ambiental em 464 cidades.

Em 15 dias, voluntários de MS arrecadam mais de mil toneladas de doações

Em 15 dias de trabalho, voluntários de Mato Grosso do Sul já mandaram mais de mil toneladas de donativos para as vítimas da tragédia climática no Rio Grande do Sul. As roupas, alimentos e itens de higiene arrecadados estão sendo transportados pelo Sindicato das Empresas de Transporte (Setlog).

As doações estão concentradas no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) de Campo Grande e voluntários realizam a triagem dos donativos. Até o momento, foram enviadas 45 carretas e caminhões para 27 cidades do Rio Grande do Sul.

As vítimas atingidos pela enchente sobrevivem de doações após suas casas serem inundadas. As enchentes que atingem o estado desde o final de abril mataram 157 pessoas, deixando 88 desaparecidas e mais de 657,8 mil fora de casa. No total, são 2,3 milhões de atingidos de alguma forma pelo desastre ambiental em 463 cidades — o RS tem 497 municípios.

Em uma entrevista coletiva, realizada na manhã desta segunda-feira (20), o CTG informou que recebeu mais de mil toneladas de doações, entre roupas, água, alimento, ração para animais e medicamentos.

O que doar?

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul pede que a população siga doando alimentos de cesta básica, agasalho, roupas de cama, material de limpeza e de higiene pessoal.

– Água e itens de cesta básica (verifique a validade de todos os itens e não doe se estiverem vencidos ou perto do vencimento);

– Fraldas (geriátrica e infantil);

– Itens de higiene pessoal (escova de dente, creme dental, sabonete, absorventes, papel higiênico);

– Itens de limpeza (secos, como sabão em barra, sacos de lixo, panos de limpeza, luvas, escova de limpeza, esponjas).

Onde doar: encontre pontos de coleta em Campo Grande

Confira dicas de como facilitar a separação das doações:

– Cestas básicas devem ser entregues já fechadas ou com os alimentos reunidos em sacos transparentes.

– O ideal é que os itens de higiene pessoal sejam entregues reunidos em kits, em sacos transparentes.

– Separe os itens por categorias e coloque em caixas ou sacolas que podem ser fechadas/amarradas.

– Coloque em caixas ou sacola com boa vedação, com cuidado para não haver rasgos ou furos.

Todas as agências dos Correios também estão recebendo doações. Confira o endereço e o horário de funcionamento das agências.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *