25/04/2024 - Edição 540

Legislativo

Câmara não votará PLs do Executivo até que falta de Assistentes Inclusivos nas escolas seja solucionada

Decisão foi do presidente da Casa, o vereador Carlão

Publicado em 26/05/2023 3:22 - Semana On

Divulgação Câmara CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Para cobrar do Executivo Municipal a solução definitiva para a falta de Assistentes Educacionais Inclusivos (AEI) e Professores de Apoio Pedagógico Especializado (APE) nas escolas da Rede Municipal de Campo Grande, o vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), presidente da Câmara afirmou que a Casa não votará Projetos do Executivo até que a situação esteja resolvida. A afirmação foi feita pelo presidente durante o uso da tribuna por parte da vice-presidente da Associação de Pais Responsáveis Organizados pelas Pessoas com Deficiência e Transtorno do Espectro Autista (Prodtea), Naína Dibo, na sessão desta quinta-feira (25).

“Se o compromisso que a prefeita e o secretário fizeram na terça, não foi plenamente cumprido e crianças estão sem aula, vamos tomar essa atitude enérgica para que as crianças não fiquem sem os assistentes e professores Inclusivos. A Câmara e todos os 29 vereadores são solidários à causa das crianças que necessitam de atendimento especial e inclusivo”, afirmou Carlão.

A representante da Associação afirmou que tinha uma má notícia aos vereadores, destacando que hoje mais de 30 crianças estavam sem aula.

“Nossos alunos não estão dentro das escolas. Inúmeras crianças foram, mas não tem professor de apoio e a direção não foi comunicada. Saiu a convocação de 89 professores e ainda não foram lotados. Nós queremos que essas crianças voltem para as salas de aula. A escola é o principal ponto de apoio que essas famílias têm. Essas crianças precisam se desenvolver”, afirmou.

De acordo com ela, há muitas crianças devidamente matriculadas na Reme, mas sem nenhum profissional de apoio, sem adaptação de conteúdo, sem acessibilidade necessária para o ensino-aprendizagem e sofrendo violência emocional. Também foi oficiado que houve a troca repentina de profissionais de apoio que atendiam as crianças da educação especial da Rede Municipal de Ensino.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *